As formas certas de prevenir as malditas dores nas costas

dores nas costas

Para quem sofre com dores nas costas, a chegada do tempo frio significa uma coisa: mais queixas. E não, isto não é um mito, como confirma Luís Teixeira, médico ortopedista e presidente da associação sem fins lucrativos Spine Matters. De facto, as temperaturas baixas acentuam as dores nas costas. O que fazer então para prevenir e aliviar estas dores?

A resposta é dada pelo especialista, que explica que anca, joelho e coluna são as zonas mais afetadas e onde os sintomas conduzem a um desconforto diário.

“Na realidade, as temperaturas baixas aumentam um diagnóstico de doenças que por vezes parecem assintomáticas nos dias quentes, como as artroses e as artrites. E a dor surge como uma resposta potenciada por um reflexo.”

E isto acontece, justifica, “porque as pessoas são mais sedentárias e não podemos esquecer-nos de que o corpo é feito para o movimento. Por outro lado, as temperaturas mais baixas conduzem a posturas incorretas, com contrações mais acentuadas e a um aumento da curvatura fisiológica da coluna dorsal. E esta contração natural muscular que deixa os músculos e as articulações mais rígidas, facilita as inflamações, como as artrites”.

Mas há mais. “A contração muscular provoca aquilo que chamamos de vasoconstrição – processo de contração dos vasos sanguíneos que reduz a irrigação muscular e faz com que os músculos levem mais tempo para exercerem as suas funções.”

Resultado: “diminui o aporte sanguíneo para os tecidos, gerando uma menor irrigação de algumas zonas e uma consequente rigidez articular, assim como o encurtamento das fibras musculares, e alterações biomecânicas e posturais que limitam e dificultam alguns movimentos”.

Descansar sim, mas combatendo o sedentarismo

Voltamos então à questão: o que fazer? Tudo começa com o descanso adequado. O repouso é, de resto, uma das medidas mais importantes nestes casos.

O ideal será fazer oito horas de sono numa cama adequada ao seu tipo de corpo, com uma posição em decúbito lateral (de lado), para que a coluna não esteja em sobrecarga, podendo utilizar o apoio de uma almofada entre os joelhos para dividir o peso. A isto junta-se um bom apoio na cabeça e espreguiçar-se, de manhã e à noite.

É também muito importante, apesar do frio, manter a atividade física e a procura de técnicas ou exercícios de alinhamento postural de forma a prevenir alterações na musculatura da coluna. Praticar Pilates pode ser uma excelente opção para esta altura do ano, assim como caminhadas, alongamentos e exercícios de baixo impacto, que podem ser bons aliados para prevenir o aumento das dores.

Comer e beber bem

A manutenção do peso saudável é uma forma de prevenção, uma vez que os níveis elevados de massa corporal podem comprometer as articulações, assim como a manutenção do calor corporal, principalmente das extremidades, evitando ao máximo as mudanças de temperatura.

Beber muita água é outro dos conselhos, uma vez que, para além de um apoio no processo metabólico, a ingestão de água também tem um papel importante na circulação sanguínea, rins e na proteção de músculos e articulações.

Há ainda que evitar permanecer demasiado tempo na mesma posição. O que significa, no local de trabalho, procurar levantar-se e fazer pausas para aliviar a postura.

O impacto dos pesos nas dores das costas

As cargas excessivas são prejudiciais. A artrose na coluna vertebral pode manifestar-se entre os 40 e os 45 anos, sendo as regiões lombar e cervical as mais afetadas. Os sintomas envolvem o aparecimento de dores, perda de força, de agilidade nos movimentos e rotação da cabeça. Desta forma, uma medida que deve adotar passa por evitar a flexão da coluna, optando por dobrar os joelhos sempre que tiver de apanhar um objeto do chão.

Preferir o vestuário simples, evitando os saltos muito altos e as roupas apertadas que condicionem os movimentos, evita a rigidez, que pode ser um obstáculo para o conforto diário.

Finalmente, apesar de muitos portugueses terem o hábito de procurar uma solução rápida para a dor, o que é muitas vezes feito através da automedicação, e embora os analgésicos e anti-inflamatórios sejam úteis no alívio temporário dos sintomas, mal administrados representam um perigo para a saúde do doente.

Por isso, em dores que teimam em persistir há que procurar aconselhamento de um médico, até porque a prevenção pode ser determinante para evitar a evolução de uma doença degenerativa.

Posts relacionados