“As doenças das gengivas são evitáveis.” Esta é a mensagem do Dia Europeu da Saúde Periodontal, uma iniciativa mundial de sensibilização que se assinala a 12 de maio, promovida pela European Federation of Periodontology, que visa educar o público sobre como detetar e prevenir doenças gengivais – gengivite, periodontite e peri-implantite – e explicar porque é que continuar a ir ao dentista mesmo durante a pandemia é importante para a saúde geral.

Vários têm sido os estudos que confirmaram que as doenças das gengivas, além de causarem perda de dentes e outros problemas na boca, estão relacionadas com grandes problemas de saúde sistémicos, da diabetes às doenças cardiovasculares, doença renal crónica, artrite reumatoide, doença de Alzheimer, certas formas de cancro, complicações na gravidez e até mesmo resultados graves associados à Covid-19.

Artigos científicos publicados recentemente sobre a relação entre a periodontite e a transmissão e complicações de Covid-19 sugerem que manter a saúde oral pode tornar-se uma parte importante do atendimento ao doente.

“O Dia Europeu da Saúde Periodontal tem como objetivo lembrar que a saúde gengival é um fator chave para a saúde e bem-estar, mesmo que, infelizmente, às vezes ainda seja esquecido”, explica Henrik Dommisch, coordenador da efeméride.

“As doenças das gengivas que podem ser efetivamente prevenidas e tratadas ainda afetam centenas de milhões de adultos em todo o mundo. É hora de tomar medidas decisivas contra as doenças das gengivas – podemos vencê-las apenas mantendo uma boa higiene oral e indo regularmente ao dentista, periodontista ou higienista.”

Doenças das gengivas podem ser silenciosas

Esta iniciativa, celebrada em mais de 40 países partilha um conjunto de quatro vídeos curtos de animação que mostram como, entre outros fatores, o mau hálito, dentes sensíveis ou soltos e o tabagismo podem desencadear ou ser um sinal de doenças das gengivas.

A maioria dos adultos em países desenvolvidos é afetada por doenças gengivais em algum momento de suas vidas, mesmo que eles não saibam disso, porque as doenças gengivais geralmente são indolores e muitas vezes passam despercebidas por algum tempo.