Há adeptos que fazem tudo pelos seus clubes de futebol. Uma lealdade de que o EuroFIT, um programa inovador de saúde, se aproveitou, usando-a para atrair os fãs para um programa de mudança de estilo de vida que foi mais eficaz que qualquer outro já testado. E que contou com a participação de adeptos portugueses.

O European Fans in Training (EuroFIT) é então um programa, financiado pela União Europeia, que teve por base um estudo. Para este, foram recrutados 1.113 homens, entre os 30 e os 65 anos, adeptos de 15 clubes profissionais de futebol de Inglaterra, Holanda, Noruega e Portugal, sendo por cá adeptos dos SL Benfica, FC Porto, Sporting CP.

Resultado: melhorias importantes na dieta, peso, bem-estar, autoestima, vitalidade e vários outros marcadores associados à saúde, tal como confirmam os resultados do trabalho, publicados na revista científica PLOS Medicine

Doze semanas de ‘treinos’

Mas afinal como funciona este programa inovador? Tudo começa com os treinadores comunitários, que ‘convocavam’ os adeptos para 12 sessões semanais, realizadas nos estádios dos clubes de futebol envolvidos, com a duração de 90 minutos cada, que têm um objetivo: aumentar a atividade física, reduzir o tempo gasto sentado e melhorar a alimentação, de forma a conseguir uma mudança de longo prazo.

Com um novo dispositivo de bolso (SitFIT), desenvolvido para a EuroFIT, foi possível monitorizar o tempo gasto sentado e os passos diários, em tempo real, enquanto uma aplicação baseada em jogos incentivava o apoio social entre as sessões.

No ensaio clínico realizado, os homens foram divididos em dois grupos. Os do primeiro grupo realizaram imediatamente o programa EuroFIT, de 12 semanas. Aos elementos do segundo grupo, de comparação, foi solicitado que ficassem a aguardar.

Um ano depois, os participantes no EuroFIT davam, em média, 678 passos por dia a mais do que os elementos do grupo de comparação.

Tinham também melhorado a sua dieta alimentar, comendo mais frutas e verduras, menos gordura e menos açúcar e aumentado o seu bem-estar e a vitalidade.

Ainda assim, as tentativas para reduzir o tempo gasto sentado foram aquelas que menor sucesso tiveram: ao fim de um ano, os participantes não reduziram este indicador.

Programa quer chegar a todos os países da Europa

O EuroFIT foi construído com base na experiência do programa de Fãs de Futebol em Treino (FFIT), uma iniciativa liderada pela Universidade de Glasgow, já adaptada para o Canadá e a Austrália.

Tratam-se de programas que, através do recurso à ciência comportamental, usam as novas tecnologias como forma de prevenir, em vez de tratar, as doenças crónicas associadas à inatividade, como a diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. 

“Os resultados de nosso teste do EuroFIT suportam os resultados do estudo FFIT anterior. Os programas de estilo de vida sensibilizados por género, oferecidos em clubes de futebol profissional, são promissores na Europa e podem desempenhar um importante papel na saúde pública”, explica Sally Wyke, investigadora principal do programa e professora da Universidade de Glasgow. 

“Os resultados também mostram que reduzir o tempo que as pessoas passam sentadas é um verdadeiro desafio para a saúde pública.”

Com uma versão finalizada do programa, a parceira do projeto, a Rede Healthy Stadia, será responsável pela implantação do EuroFIT em toda a Europa, através de um sistema de licenciamento sem fins lucrativos.