Um inquérito feito a doentes com cancro do pulmão de vários países europeus revela que metade não sabe o que é um ensaio clínico sobre cancro e mais de um em cada cinco nunca ouviu falar de tal coisa. Dados que confirmam o desafio que se colocam quando o tema é os ensaios clínicos.

Foi no congresso da Associação Internacional para o Estudo do Cancro do Pulmão, que decorre em Barcelona, que A. M. Baird, em nome da Lung Cancer Europe (LuCE), a voz das pessoas afetadas pelo cancro do pulmão na Europa e que visa aumentar o conhecimento sobre a doença, divulgou os dados.

De acordo com A. M. Baird, o estudo foi realizado com o objetivo de melhor compreender a experiência do ensaio clínico do ponto de vista do doente e melhorar a compreensão dos clínicos e da saúde pública sobre a consciencialização e as atitudes dos doentes face a esta temática.

A equipe do LuCE desenvolveu inquérito e formulou as perguntas, partilhadas com elementos da comunidade médica, representantes de organizações de defesa de doentes e indústria farmacêutica e, claro, com os doentes, que lhes deram resposta.

É preciso mais informação sobre ensaio clínico

“Cerca de 80% dos entrevistados desejaram descobrir mais sobre ensaios clínicos, enquanto 75% acreditavam que seria benéfico para os doentes trabalharem em conjunto com investigadores no processo de desenvolvimento de ensaios clínicos”, referiu a especialista.

Os participantes identificaram várias barreiras ao acesso aos ensaios clínicos para o cancro do pulmão, incluindo dificuldades no acesso transfronteiriço, barreiras linguísticas, falta de informações precisas e acessíveis, falta de consciencialização dos doentes e médicos e disparidades no acesso em toda a Europa.

“A comunidade do cancro do pulmão deve trabalhar em conjunto para superar estas barreiras e garantir o acesso a ensaios clínicos a todas as pessoas afetadas pelo cancro do pulmão”, conclui Baird.