A Comissão Europeia vai conceder 10 milhões de euros do seu programa de investigação e inovação, Horizonte 2020, para apoiar a investigação sobre a doença provocada pelo novo coronavírus. E está à procura de interessados em desenvolver projetos de investigação capazes de fazer avançar o conhecimento sobre a epidemia do novo vírus.

“Estamos a trabalhar para mitigar as consequências de uma possível disseminação maior do surto de coronavírus na União Europeia (UE)”, refere a propósito Mariya Gabriel, Comissária para Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude.

“Graças ao financiamento para investigação de emergência do Horizonte 2020, saberemos mais sobre a doença”, acrescenta.

Stella Kyriakides, Comissária para Saúde e Segurança Alimentar, considera necessária “uma resposta multifacetada de todos os governos ao coronavírus e a investigação é uma parte essencial disso. Precisamos de saber mais sobre o vírus para direcionar melhor as nossas medidas de prevenção e garantir melhores cuidados aos nossos cidadãos – esse é precisamente o objetivo do financiamento de emergência do Horizonte 2020”.

OMS declara surto de coronavírus uma emergência

Esta ação foi lançada pouco depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter declarado o novo surto de coronavírus uma emergência de saúde pública de interesse internacional.

Numa altura em que a doença se continua a espalhar na China e para além desta, com os primeiros casos relatados na Europa, a Comissão Europeia (CE) trabalha em estreita colaboração com a OMS e outros atores internacionais para garantir uma resposta europeia e global rápida, eficiente e coordenada ao surto.

Espera-se que o financiamento possa servir de apoio a dois a quatro projetos de investigação, estando a CE a usar todos os meios ao seu dispor para permitir o início dos trabalhos de investigação o mais rapidamente possível.

Os candidatos têm até 12 de fevereiro, ou seja, apenas duas semanas para responder e os acordos de subvenção também devem ser assinados muito rapidamente, sendo as mesmas sujeitas a cláusulas rápidas de partilha de dados, para garantir que as autoridades possam aplicar os resultados da investigação imediatamente.