Estrelados, escalfados ou como ingrediente de múltiplas receitas, os ovos fazem parte da alimentação de milhões de pessoas em todo o mundo. E se até agora as cascas tinham apenas um destino, o lixo, graças ao trabalho de um grupo de investigadores da Universidade de Massachusetts, nos EUA, isso pode vir a mudar, depois da descoberta de que podem ajudar na recuperação de fraturas ósseas.

Os especialistas criaram um biomaterial, que tem como principal protagonista as cascas de ovo em pó que, misturadas com um hidrogel, permitem a ajudar na regeneração óssea.

Algo que é possível devido ao facto de a casca de ovo ser rica em carbonato de cálcio, uma substância usada frequentemente para suplementar a falta de cálcio na alimentação.

Descoberta associada às cascas de ovos já patenteada

As primeiras experiências com este material foram realizadas em laboratório. Numa segunda fase, os alvos foram ratos. Aqui, para se perceber de que forma atuava o material, foi-lhes aplicado o hidrogel no local onde ocorreu uma fratura do osso.

Resultado: devido à elevada quantidade presente de cálcio nesta mistura, o osso não só criou tecido ósseo, como solidificou mais rapidamente, diminuindo o tempo de cura da lesão. 

Uma experiência que leva os investigadores a concluir que este hidrogel pode ser aplicado em seres humanos. Para tal, será apenas necessário que os profissionais de saúde retirem uma amostra óssea do doente em questão, para verificar a compatibilidade do mesmo com a substância, de forma a evitar uma rejeição.

A preparar já os passos seguintes, este grupo de cientistas decidiu patentear a descoberta. Além disso, o grupo acredita que as aplicações deste biomaterial podem ser variadas, uma vez que a regeneração de outros tecidos, como a cartilagem, dentes, tendões bem como a criação de tecidos para transplantes, podem ser algumas das muitas aplicações que este hidrogel poderá vir a ter no futuro.