Um teste de saliva pode acelerar o diagnóstico de ataque cardíaco, revela uma investigação preliminar, que retrata uma técnica inovadora, que exige apenas que os pacientes cuspam para um tubo e fornece resultados em 10 minutos, em comparação com pelo menos uma hora necessária para o teste de sangue padrão.

Os ataques cardíacos precisam de um diagnóstico urgente, seguido de tratamento para restaurar o fluxo sanguíneo nas artérias bloqueadas. O diagnóstico é baseado nos sintomas (como dor no peito), num eletrocardiograma (ECG) e num exame de sangue para a troponina cardíaca, uma proteína libertada no sangue quando o músculo cardíaco é lesado.

“Há uma grande necessidade de um teste simples e rápido da troponina para os doentes com dor no peito no ambiente pré-hospitalar”, refere o autor do estudo, Roi Westreich, especialista do Soroka University Medical Center, em Israel. “Atualmente, o teste da troponina usa amostras de sangue. Neste estudo preliminar, avaliamos a viabilidade de um novo método com saliva.”

O objetivo do estudo era verificar se a troponina cardíaca poderia ser detetada na saliva de doentes com lesão do músculo cardíaco, tendo sido testada em 32 pessoas com lesão no músculo cardíaco (ou seja, que apresentaram um teste de sangue com troponina cardíaca positivo) e 13 voluntários saudáveis, que forneceram amostras de saliva.

E os resultados, segundo Westreich, ainda que iniciais, revelam “a presença de troponina cardíaca na saliva de pessoas com lesão miocárdica. São necessários mais estudos para determinar quanto tempo a troponina permanece na saliva após um ataque cardíaco e, além disso, precisamos de saber quantos doentes seriam erroneamente diagnosticados com ataque cardíaco e quantos casos seriam perdidos”.

As próximas etapas desta desta investigação passam por aumentar o número de doentes em estudo e criar um protótipo para um teste de troponina cardíaca que use a saliva.