Se está grávida, ou se pensa engravidar, a receita para uma gestação saudável é simples: uma alimentação rica em vegetais e peixe. É que, de acordo com um novo estudo, esta está associada a um menor risco de hipertensão, assim como pré-eclâmpsia, um problema a esta associado.

Publicado na revista International Journal of Obstetrics and Gynecology, o estudo confirma que uma dieta rica em batatas, carne, pão branco e gordura aumenta a probabilidade de desenvolver os problemas referidos acima na gravidez.

Uma em cada dez grávidas afetadas

A pressão arterial elevada, conhecida como hipertensão arterial, afeta cerca de uma em cada 10 grávidas. Pode existir antes da gravidez ou desenvolver-se durante a mesma, a hipertensão gestacional e pré-eclâmpsia, estes problemas que afetam entre duas e oito mulheres em cada 100, surgindo a partir de cerca da 20ª semana de gestação.

Foi para avaliar o papel da alimentação da mãe no risco de pressão alta e pré-eclâmpsia que uma equipa de investigadores realizou um  estudo sobre os hábitos alimentares das grávidas e os riscos associados.

Foram, ao todo, seguidas 55.138 mulheres dinamarquesas, entrevistadas às 12 e 30 semanas de gestação e seis e 18 meses após o parto, tendo também sido convidadas a responder a um questionário que avaliou a ingestão alimentar na 25ª semana de gestação.

De acordo com os resultados, uma alimentação rica em vegetais e peixe diminuiu a probabilidade de hipertensão gestacional em 14% e pré-eclâmpsia em 21%.

Já uma dieta rica em batata e carne aumentou o risco de hipertensão gestacional em 18% e o de pré-eclâmpsia em 40%.

“As nossas descobertas reforçam a importância de se ter uma dieta saudável e balanceada, rica em vegetais e peixes e de se cortar nos alimentos processados ​​sempre que possível. Isso ajudará a reduzir o risco de uma mulher desenvolver hipertensão e pré-eclâmpsia durante a gravidez”, explica Emmanuella Ikem, autora do estudo e investigadora na Faculdade de Medicina da Universidade de Bristol. 

As vantagens de uma alimentação saudável

Atualmente, aconselha-se a ingestão de pelo menos cinco porções de frutas e vegetais diferentes todos os dias, em vez de alimentos ricos em gordura.

É geralmente seguro consumir peixe durante a gravidez – não mais de duas porções de peixe oleoso, como cavala ou salmão, por semana e não mais do que dois filetes de atum fresco ou quatro latas de atum de tamanho médio por semana. 

Pat O’Brien, obstetra e porta-voz do Royal College of Obstetricians and Gynecologists, reforça que “a hipertensão arterial e a pré-eclâmpsia podem resultar em complicações prejudiciais para a mãe e o bebé. São problemas que devem ser geridos com medicamentos e monitorizados de perto pelos profissionais de saúde durante a gravidez e o parto”.

“Estas últimas descobertas são encorajadoras, pois revelam que há passos adicionais que uma mulher pode dar para reduzir o risco destas doenças, ao comer de forma saudável.”

O que comer e o que evitar

De acordo com o Royal College of Obstetricians and Gynaecologists, as grávidas devem: