A Associação Europeia de Bioindústrias (EuropaBio) e a Associação Portuguesa de Bioindústria (P-BIO) organizam, a 10 de maio, o evento “Building from vaccines: from vaccines to Economic Growth for Europe”, com o objetivo de discutir de que forma é que as prioridades nacionais e as sinergias entre os diversos países europeus podem convergir para um caminho único de recuperação económica europeia, através da biotecnologia.

O evento insere-se no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da UE e conta com o apoio e a participação do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor.

A crise da COVID-19 possibilitou a criação de caminhos de desenvolvimento rápido de tecnologia, incluindo parcerias, investimentos e aprovações, para permitir a entrega mais rápida de biotecnologias ao mercado.

Embora essa tenha sido uma escala e velocidade únicas e sem precedentes para o desenvolvimento de vacinas, este exemplo mostra que a biotecnologia pode atuar de forma rápida e robusta para ultrapassar grandes desafios mundiais, não apenas ligados à saúde, mas também ao desenvolvimento sustentável.

Este evento pretende analisar a resposta do setor da biotecnologia à crise da COVID-19 e discutir como é que a Europa pode continuar este impulso em todos os setores e garantir uma posição global mais competitiva.

Iniciativas como a Autoridade Europeia de Preparação e Resposta a Emergências de Saúde (HERA), a Estratégia Industrial Europeia e o Plano de Ação para a Economia Circular são alavancas para o desenvolvimento das bioindústrias e serão abordadas neste evento, do qual surgirá um documento de posição da EuropaBio, que servirá de roteiro à construção de iniciativas e políticas que potenciem a biotecnologia.

Claire Skentelbery, diretora-geral da EuropaBio, afirma que “a Europa tem um motor poderoso para garantir uma maior competitividade, através dos seus países membro e parceiros no continente. Esta reunião reflete prioridades e capacidades de países de todos os tamanhos na Europa e ajuda a garantir que todos progridamos juntos”.

Filipa Sacadura, secretária-geral da P-BIO, acrescenta que “o setor da biotecnologia em Portugal está em franco crescimento e é fundamental ter políticas e incentivos que potenciem a participação das empresas biotecnológicas portuguesas nas parcerias globais. Esta reunião permitirá alinhar as prioridades nacionais para continuar a construir o poder económico da biotecnologia no futuro”.