A lista do que nos pode fazer engordar é grande, mas acaba de crescer com os resultados de um novo estudo, que revela que a exigência no trabalho predispõe para os quilos a mais. Um problema ao qual os homens escapam.

A avaliação de mais de 3.800 pessoas na Suécia confirma isso mesmo, que “a elevada pressão laboral tem um papel no ganho de peso das mulheres”, não existindo essa associação no caso dos homens, segundo Sofia Klingberg, principal autora do trabalho e investigadora em medicina comunitária e saúde pública na Academia Sahlgrenska de Gotemburgo.

Pressão prolongada proporciona aumento de 20% no peso

A relação entre o peso corporal e a exigência no trabalho foi avaliada, junto dos participantes, em três ocasiões específicas ao longo de 20 anos.

Questionados sobre o seu ritmo laboral, pressões psicológicas, tempo para realização das suas funções e pedidos contraditórios, os homens e as mulheres incluídas no estudo responderam ainda a perguntas sobre a frequência com que aprendiam algo novo, se o trabalho exigia imaginação ou competências avançadas e se o entrevistado foi pessoalmente capaz de escolher o que fazer e como fazê-lo.

Os resultados revelam que aqueles com pouco controlo sobre o seu trabalho ganharam mais frequentemente peso considerável, ou seja, 10% ou mais, no decorrer do estudo. Algo válido para homens e mulheres.

No entanto, a exposição prolongada a pressões elevadas desempenhou um papel apenas junto das mulheres, tendo sido verificado um aumento de peso em mais de metade dos elementos do sexo feminino que tinham sido submetidos a pressões elevadas. Peso que foi cerca de 20% superior ao das mulheres que não sentiam pressão.

“Quando se fala de elevados níveis de pressão no trabalho, apenas as mulheres foram afetadas. Não investigamos as causas subjacentes, mas pode ser uma combinação da exigência no trabalho com a maior responsabilidade no lar, que as mulheres geralmente assumem. Isso pode dificultar o tempo para se exercitarem e terem uma vida saudável”, refere a investigadora.

Ter ou não uma formação académica não explica as associações encontradas no estudo. Nem a qualidade da dieta ou outros fatores associados ao estilo de vida. 

Estudo reforça importância de luta contra o stress no trabalho

Tendo em conta os problemas associados ao stress no trabalho, o estudo torna-se relevante em termos de saúde pública. Os investigadores acreditam que a identificação de grupos suscetíveis ao stress e a implementação de esforços para reduzir esse stress iria, provavelmente, reduzir não apenas o ganho de peso, mas também a incidência de problemas de saúde, incluindo doenças cardiovasculares e diabetes.

Descubra aqui qual o seu nível de stress no trabalho