Em 2018, o IPO Lisboa registou 4.120 dádivas de sangue, de um total de 4.527 dadores inscritos, 1.150 dos quais novos dadores. Agora, por ocasião do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se assinala no próximo dia 14, o IPO Lisboa inaugura as novas instalações do Serviço de Imunohemoterapia (SIH) e apela à dádiva, para conseguir ultrapassar o desejado: 20 dádivas diárias.

No novo espaço, que está em funcionamento desde março de 2019, concentram-se todas as valências do serviço: Banco de Sangue, Laboratório de Imunohematologia, Hospital de Dia de Transfusão e Unidade de Dadores de Sangue. 

Obras que representaram um investimento de cerca de 700 mil euros e visam melhorar as condições de tratamento dos doentes, aumentar a capacidade do serviço na área das colheitas/dadores de sangue e oferecer as melhores condições de trabalho aos profissionais de saúde.

Aumentar as dádivas de sangue

“A ampliação e requalificação das instalações do Serviço de Imunohemoterapia insere-se num plano integrado de melhoria e continuidade do IPO, que visa melhorar as condições de prestação de cuidados para os doentes e profissionais e responder ao crescente aumento da procura de cuidados em oncologia”, sublinha em comunicado Sandra Gaspar, vogal executiva do Conselho de Administração.

Neste dia, explica Dialina Brilhante, diretora do SIH do IPO Lisboa, “queremos realçar a importância da doação de sangue e de componentes na nossa instituição, com o objetivo ultrapassar as 20 doações por dia. Queremos aumentar o número de dadores e de dádivas para podermos fazer face às necessidades crescentes: cerca de 1.700 doentes, nove mil concentrados de eritrócitos e entre 15 a 20 mil concentrados de plaquetas”.

Para a médica, a mensagem do IPO Lisboa é clara: “Queremos continuar a contar com os dadores regulares e lembrar os mais jovens que a dádiva de sangue ou de componentes é um dever de cidadania e um gesto de generosidade e de solidariedade que permite salvar vidas”.