Se é fã de palavras cruzadas e quebra-cabeças com números, saiba que está no bom caminho para ter um cérebro mais jovem, revela o maior estudo online realizado até hoje.

Quanto mais regularmente os maiores de 50 anos fizerem este tipo de jogos, como as palavras cruzadas ou Sudoku, melhor a sua função cerebral, pelo menos de acordo com a investigação feita com mais 19.000 pessoas, liderada pela Universidade de Exeter e pelo King’s College de Londres.

Os especialistas pediram aos participantes do estudo PROTECT, a maior coorte online de adultos mais velhos, que relatassem a frequência com que se faziam quebra-cabeças de palavras e números e que fizessem uma série de testes cognitivos sensíveis à sua função cerebral.

E verificaram que quanto mais a regularidade com que se envolviam nestes jogos, melhor o desempenho em tarefas que avaliavam atenção, raciocínio e memória.

A partir daqui foi possível calcular os ganhos e confirmar que os que fazem estes jogos têm uma função cerebral entre oito a dez anos mais jovem do que a sua idade real.

“As melhorias são particularmente claras na velocidade e precisão do seu desempenho”, refere Anne Corbett, investigadora da Escola de Medicina da Universidade de Exeter, líder do trabalho.

“Em algumas áreas, a melhoria foi bastante dramática – em medidas de resolução de problemas, as pessoas que regularmente fazem estes quebra-cabeças têm resultados equivalentes às que são oito anos mais jovens.”

Acrescenta, no entanto, não ser ainda possível afirmar que “estes quebra-cabeças reduzem o risco de demência na vida adulta, mas esta investigação vai ao encontro de descobertas anteriores, que indicam que o uso regular de quebra-cabeças com palavras e números ajuda a manter os nossos cérebros a funcionar melhor, por mais tempo”.