Provedor do doente no CHULC

Centro Hospitalar de Lisboa Central vai ter um provedor do doente

Por País

Ouvir ativamente e dar resposta aos doentes que procuram ajuda e esclarecimento sobre o atendimento e cuidados prestados em todas as áreas clínicas é a missão do Provedor do Doente do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC). Uma novidade agora apresentada.

A ideia é, explica-se em comunicado, dar início a uma “mudança de paradigma”, que se pretende aplicar ao Novo Hospital de Lisboa, a construir na zona oriental, e que tem como princípio-base trazer o doente para o processo de decisão.

Na sua função de dar voz aos cidadãos que recorrem ao hospital, o Provedor estará atento aos atuais desafios do Serviço Nacional de Saúde, que passam pelo “recrudescimento das exigências da comunidade, pelo aumento das tecnologias na prestação de cuidados de saúde, a par de uma maior longevidade e de uma acrescida incidência das doenças crónicas”.

Desafios que exigem um envolvimento mais incisivo do doente e da sua família nas instituições de saúde, permitindo potenciar o sentimento de confiança e o grau de satisfação dos cidadãos.

Agindo como representante do Conselho de Administração, o Provedor do Doente constitui uma peça essencial deste modelo mais participado, em que “o hospital segue o doente”, e não o contrário, “e em que se aposta no desenvolvimento das relações doente-hospital, antecipando as necessidades, programando a atividade de acordo com as características específicas dos doentes e ativando os recursos internos de forma integrada”.

O nome do Provedor ainda não é conhecido – será em breve – e, entre outras, terá as tarefas de representar os interesses dos doentes e suas famílias; solicitar todos os esclarecimentos e informações a quaisquer estruturas do centro hospitalar, reunir com o Conselho de Administração com vista à correção de condutas e melhoria contínua dos cuidados, assinalar dificuldades e obstáculos a uma melhor prestação assistencial e propor soluções e apresentar propostas para a divulgação dos direitos dos doentes e planos de ação para a informação dos utentes e famílias.

2,3 milhões para nova tecnologia para o CHULC

Investimento de 2,4 milhões permite compra de novos equipamentos para centro hospitalar

Por País

O Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC) vai adquirir equipamentos tecnologicamente avançados, num valor superior a 2,4 milhões de euros. O objetivo é melhorar a resposta dada aos doentes no que diz respeito aos meios complementares de diagnóstico e terapêutica, em áreas como a cardiologia, oftalmologia ou oncologia.

A autorização foi dada pelo Ministério da Saúde e, na prática, de acordo com a tutela, este investimento vai permitir potenciar a diferenciação tecnológica do CHULC e realizar internamente mais exames e tratamentos.

“Os novos equipamentos vão permitir, simultaneamente, rentabilizar a capacidade instalada e aumentar a fiabilidade e segurança dos procedimentos, com impacto direto também na atividade cirúrgica”, lê-se na informação do Ministério da Saúde.

Modernização com apoio do POR 2020

Ainda de acordo com a tutela, metade do investimento de 2,4 milhões de euros será financiado por fundos do programa comunitário POR Lisboa 2020 (POR 2020) e o restante pelo hospital, que deverá obter poupanças nos atuais custos de manutenção e assistência técnica e de transferência de doentes.

O POR 2020 tem possibilitado os últimos investimentos, especialmente desde o início de 2017, na modernização do parque de equipamentos de saúde do CHULC ou nos seus sistemas de informação. Neste âmbito, até ao momento, foram ou estão a ser executados quase 17 milhões de euros.