Com o Natal quase à porta, é natural que se comecem a fazer planos para a sua celebração. É, por isso, importante que os doentes imunodeprimidos, ou seja, com o sistema imunitário enfraquecido, tomem medidas extra para se protegerem da COVID-19, uma vez que correm um risco maior de adoecer gravemente. Isso inclui pessoas com cancro ou que fizeram transplantes e estão a tomar medicação imunossupressora, bem como doentes com VIH/Sida avançado e não tratado. Raymund Razonable, especialista em doenças infecciosas da Mayo Clinic, nos EUA, partilha algumas medidas que estes doentes podem tomar para reduzir o risco de contrair COVID-19.

Vacinar-se

“A medida mais importante para os doentes imunodeprimidos podem tomar para se protegerem da COVID-19 é a vacinação”, refere Razonable, que trabalha com doentes transplantados. “Também é extremamente importante que aqueles que levaram uma vacina de mRNA recebam uma terceira dose para ajudar a melhorar a sua resposta imunitária ao vírus.”

Pedir a amigos e familiares para se vacinarem

É especialmente importante que as pessoas com o sistema imunitário comprometido peçam à família, amigos e outras pessoas do seu círculo mais próximo para se vacinarem contra a COVID-19, já que vacinadas têm menos probabilidade de disseminar a COVID-19 em comparação com as não vacinadas.

Usar máscara, lavar as mãos e praticar o distanciamento social

Não devemos subestimar os benefícios de respeitas as medidas básicas de saúde pública, que já deram provas de funcionar. Os especialistas recomendam o uso de máscara em ambientes públicos e com muitas pessoas, a manutenção de uma distância de pelo menos dois metros das pessoas e a lavagem das mãos com frequência, para garantir a proteção.

Caso seja exposto à COVID-19, não espere para entrar em contacto com o médico

Os doentes imunodeprimidos expostos à COVID-19 devem entrar em contacto imediato com o seu médico.