Investigadores da Universidade de Tohoku, no Japão, criaram um novo tipo de lentes de contacto inteligentes que conseguem evitar o olho seco.

Com um sistema de auto-hidratação, conseguem manter uma camada de fluido entre a lente e o olho, com recurso a um novo mecanismo, descrito na revista Advanced Materials Technologies.

Tratam-se de dispositivos portáteis, que podem acelerar a visão além das capacidades humanas naturais e que estão a ser desenvolvidos para uma vasta gama de aplicações, desde monitorização não invasiva até correção da visão e exibição de realidade aumentada.

“Apesar de termos assistido a muitos avanços recentes em novas funções para lentes de contacto inteligentes, houve pouco progresso na solução dos inconvenientes associados ao uso diário destas lentes”, explica Matsuhiko Nishizawa, engenheiro da Universidade Tohoku.

Lentes e olho seco, uma relação complicada

Um dos maiores problemas das lentes de contacto é o “síndrome do olho seco”, que resultado do facto de o piscar ser mais reduzido, acompanhado por um aumento da evaporação da humidade. Uma síndrome que pode levar a feridas e inflamação da córnea, além de uma sensação de desconforto.

Para resolver esse problema, os investigadores desenvolveram um novo mecanismo que consegue manter, com sucesso, a lente húmida. 

É, no entanto, necessário investigar ainda mais no sentido de se aperfeiçoarem estas lentes de contacto auto-hidratantes, tornando-as mais resistentes.

De futuro, garante o especialista, há mesmo espaço para expandir esta tecnologia e usá-la noutras aplicações, como a aplicação de medicamentos.