Remoção de doces das caixas dos supermercados ajuda a combater a obesidade

políticas de supermercado

São uma tentação. Mas, mais do que isso, são uma tentação que prejudica a saúde. Agora, um novo estudo da Universidade de Cambridge confirma que afastar, nos supermercados, as batatas fritas e os doces da zona das caixas registadoras reduz, de forma dramática, a compra de alimentos não saudáveis.

Publicado na revista PLOS Medicine, a investigação conseguiu quantificar esta redução: contas feitas, foram 76% menos as compras, e consequentemente, menos também o consumo de salgados, chocolates e batatas fritas em supermercados onde existia uma preocupação com os alimentos colocados nas caixas, comparando com aqueles que a tinham.

Não é novidade que as políticas usadas no comércio, que incluem a forma como são exibidos os produtos, o seu posicionamento, promoções e preços, podem influenciar as escolhas dos consumidores.

E não é novo também que as caixas dos supermercados são um espaço importante, uma vez todos os clientes precisam de passar por elas para pagar, ali passando algum tempo, que pode ser considerável, se pensarmos na existência de filas.

No entanto, a maioria dos alimentos que ali se encontram não são os mais saudáveis. 

“Muitos dos snacks escolhidos nas caixas podem não ser planeados, podem ser compras por impulso – e as opções tendem a ser bolos, chocolates ou batatas fritas”, confirma Jean Adams, especialista do Centre for Diet and Activity Research da Universidade de Cambridge.

Redução imediata de 17%

No Reino Unido, vários supermercados introduziram políticas que incluem uma escolha atenta dos itens colocados junto às suas caixas e foi o seu impacto nas escolhas de compra dos consumidores que se procurou aqui avaliar.

Para examinar o efeito que a introdução de políticas de compras nas grandes redes de supermercados teve sobre os hábitos de compra dos consumidores, Jean Adams liderou uma equipa de investigadores das universidades de Cambridge, Stirling e Newcastle, que analisaram dados do painel de consumidores da Kantar Worldpanel para alimentos, bebidas e produtos domésticos.

Em primeiro lugar, a equipa analisou a alteração à forma como eram feitas as compras de alimentos menos saudáveis ​​nas caixas, após a implementação das políticas de escolha de alimentos, levadas a cabo em seis das nove grandes cadeias de supermercados entre 2013 e 2017.

E verificou que a implementação destas políticas estava associada a uma redução imediata de 17% nas compras. 

Medida simples “encoraja alimentação mais saudável”

Foram também avaliados dados de 7.500 compradores, que registaram alimentos comprados e consumidos durante o período de 2016 a 2017 em supermercados com e sem políticas de verificação de alimentos nas caixas.

As compras para levar são muitas vezes impulsivas. Neste caso, o valor reduziu 76% nos supermercados onde existia um cuidado nas caixas, em comparação com aqueles que não o tinham

Embora não tenha sido possível afirmar com toda a certeza que as mudanças no comportamento de compra foram devidas às políticas implementadas, os investigadores ainda assim acreditam que uma coisa tem a ver com a outra.

“As nossas descobertas sugerem que, ao remover doces e salgados das caixas, os supermercados podem ter uma influência positiva nos tipos de compras que os compradores fazem”, refere Katrine Ejlerskov, autora principal do estudo.

“Esta seria uma intervenção relativamente simples, com potencial para encorajar uma alimentação mais saudável. Muitas destas compras podem ter sido compras por impulso, por isso, se o comprador não pegar numa barra de chocolate na caixa, pode ser uma barra de chocolate a menos que consome.”

Posts relacionados