centro antivenenos

Maioria das chamadas para centro antivenenos motivadas por erros na medicação

Por País

Mais de metade (63%) das consultas telefónicas realizadas, em 2018, para o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), do Instituto Nacional de Emergência Médica, estavam associadas a problemas com medicamentos, sobretudo enganos na toma, seguindo-se a exposição a produtos de utilização doméstica, como lixívias ou detergentes (cerca de 19%), sendo 5% dos casos relacionados com a exposição a pesticidas.

Em 65% das situações, as intoxicações ocorreram em adultos e 33% em crianças, sendo de salientar que, entre as crianças, a esmagadora maioria dos casos (63%) verificaram-se entre o primeiro e o quarto anos de vida.

Por ano, este serviço recebe qualquer coisa como 30 mil chamadas e, a partir de agora, tem à um novo número de contacto gratuito – 800 250 250, deixando de ter qualquer custo associado, o que facilita o acesso a todos os cidadãos.

Serviço antivenenos dá resposta sete dias por semana

A funcionar ao longo das 24 horas do dia, sete dias por semana, o serviço é assegurado por pessoal médico especializado, disponível através de uma linha telefónica exclusiva.

Trata-se de um centro médico de consulta telefónica na área da toxicologia, responsável pela prestação, em tempo útil, das informações necessárias e adequadas a profissionais de saúde ou ao público em geral, visando uma abordagem correta e eficaz a vítimas de intoxicação.

De acordo com as informações disponibilizadas, presta informações toxicológicas sobre todos os produtos existentes, desde medicamentos a produtos de utilização doméstica ou industrial, produtos naturais, plantas ou animais.

Além do atendimento telefónico de urgência, o CIAV colabora ainda em ações de formação, desenvolve medidas de prevenção e, com base na informação disponível e permanentemente atualizada, presta apoio na elaboração de estudos, trabalhos de investigação ou de análise estatística na área das intoxicações em Portugal.