cirurgias íntimas ainda são tabu

Está na hora de acabar com os tabus associados às cirurgias íntimas

Por Bem-estar

É ainda desconhecida para muitas e um tabu para outras. A labioplastia, uma entre várias cirurgias íntimas, “visa não apenas melhorar a estética da região, mas também a funcionalidade, tratando os grandes lábios, que com o passar do tempo, ou até mesmo após a gravidez, podem ficar flácidos, ou os pequenos lábios, que podem aumentar de tamanho e parecer muito grandes”, explica Luiz Toledo, cirurgião plástico,. No entanto, há ainda muitas mulheres que desconhecem este procedimento.

Quem a procura, fá-lo sobretudo por desconforto físico e psicológico, em idade sexualmente ativa. Um procedimento que pode ser feito apenas para tratar os grandes ou pequenos lábios, ou ambos na mesma intervenção.

“Quando os lábios são muito grandes é preciso reduzi-los cirurgicamente. Quando, por outro lado, os grandes lábios estão atrofiados é preciso aumentá-los com enxerto de gordura”, refere o especialista.

Mas existem outros problemas que podem ser resolvidos com procedimentos complementares à labioplastia. “Quando há flacidez vaginal, a cirurgia pode ser combinada com uma vaginoplastia para deixar a vagina mais apertada e aumentar o prazer sexual. Outro tratamento que pode ser feito ao mesmo tempo é o enxerto de gordura no chamado Ponto G, zona erógena que também facilita o prazer sexual.”

Desconhecimento ajuda a explicar tabu das cirurgias íntimas

O especialista considera, no entanto, que existe um tabu em relação a este tipo de intervenções e a explicação está não só no desconhecimento da sua existência, mas também no facto de a maioria das mulheres não olhar para esta zona do corpo da mesma forma que olha para outras.

“Muita gente nem olha para suas partes íntimas e não gosta de falar no assunto. Justamente por isso, não sabem que há tratamento para estes problemas.”

Importa, por isso, falar desta cirurgia, que não deixa cicatrizes quando é feito apenas um enxerto de gordura. Noutros casos, as cicatrizes ficam escondidas na parte interna da vagina. É um procedimento simples e que demora menos de uma hora.