Dicas para a saúde auditiva

Seis dicas para proteger os seus ouvidos nos festivais de verão

Por Bem-estar

Se é adepto de festivais de verão ou concertos no geral saiba que se ainda não o faz, está na hora de começar a prestar atenção à saúde dos seus ouvidos. Isto porque “a exposição prolongada a ambientes com níveis sonoros elevados pode causar problemas e até a perda temporária ou permanente da audição”.

O alerta é dado por Alexandra Marinho, audiologista da GAES, que chama a atenção para a necessidade de cuidado “quanto ao volume e tempo de exposição a sons muito altos”. Deixa, por isso, seis dicas para prevenir problemas auditivos. Percorra a galeria para as conhecer.

 

Festivais de verão podem prejudicar a saúde auditiva

O perigo das festas de verão para a saúde auditiva

Por Bem-estar

Com o verão a caminho, multiplicam-se os festivais, as festas, os concertos. É tempo de festa e folia. No meio de tudo isto, por vezes perde-se de vista a saúde auditiva. De facto, será que temos noção do impacto que o volume da música nestes eventos tem na saúde dos nossos ouvidos?

Não é surpresa para ninguém que o volume do som nos concertos é sempre elevado. O que talvez muito não saibam é que, a partir dos 80 decibéis (dB), o som começa a ser prejudicial para os nossos ouvidos.

Tendo em conta que a pressão acústica nos concertos pode ser facilmente superior a 110 dB, não deverá ser surpresa os efeitos negativos para a saúde auditiva das festas de verão, uma vez que é ultrapassado aquilo a que se chama limiar de conforto ou limiar de dor.

“No início, é observada uma perda auditiva com recuperação após horas de repouso. Se a exposição continuar, instala-se uma perda auditiva progressiva e irreversível, denominada perda de audição induzida por ruído”, explica Dulce Martins Paiva, diretora-geral da GAES – Centros Auditivos em Portugal.

“Os sinais mais frequentes de dano auditivo por ruído são dores de ouvido, zumbido, irritação com sons altos, redução da capacidade auditiva, transtornos de atenção, ansiedade e nervosismo.”

Ainda de acordo com a mesma fonte, “o incómodo pode ser grande a ponto de causar dores de cabeça e efeitos psicológicos. Se a perda auditiva for considerável, o indivíduo pode se isolar socialmente pela dificuldade de comunicação”.

Como proteger os ouvidos nas festas de verão

Proteção é, ou deveria ser, também aqui a palavra de ordem. “A proteção é possível e recomendável. Atualmente existem várias opções de proteção auditiva, que garantem o timbre natural do som, sem distorções”, refere Dulce Martins Paiva.

Soluções standard ou personalizadas, “como o caso de protetores feitos à medida do canal auditivo”. E o melhor é que, seja qual for a sua escolha, a garantia é de que não vai precisar de os tirar para ouvir o que lhe dizem e muito menos para ouvir a sua banda preferida.