endometriose e fruta

Consumo de fruta pode reduzir o risco de endometriose

Por Investigação & Inovação

Há uma associação entre o consumo de fruta e vegetais e o risco de endometriose? A pergunta foi colocada por um grupo de investigadores, que decidiram fazer um estudo sobre o tema.

Partindo do pressuposto de que as dietas ricas em fruta e vegetais incluem níveis mais elevados de nutrientes pró-vitamina A, ou seja, que se vão transformar em vitamina A e que há relatos de que as mulheres com endometriose têm menor consumo de vitamina A do que mulheres sem a doença, os investigadores recorreram aos dados de 70.835 mulheres na pré-menopausa, seguidas entre 1991 e 2013.

E concluíram, num artigo publicado na revista Human Reproduction, que o consumo de fruta, em especial frutas cítricas, como laranja e toranja, pode proteger as mulheres.

Mais fruta, menos risco

Durante os período a que se referiam os dados, e das mais de 70 mil mulheres acompanhadas, foram confirmados 2.609 casos de endometriose, 313 dos quais associados a infertilidade.

Mas, de uma forma mais geral, o aumento da ingestão de fruta e vegetais surgiu associado a um risco mais reduzido de endometriose.

Contas feitas, as mulheres que comiam três, porções diárias de fruta e verduras tiveram uma redução de 9% no risco da doença, percentagem que cresceu com o aumento do consumo: quatro porções corresponderam a uma redução de 10%, cinco de 18% e seis ou mais de 12% , isto quando comparando com as mulheres que se ficavam pelas duas porções ou menos diárias.

Apesar de realçarem a possibilidade de algumas mulheres terem exagerado na descrição da quantidade de fruta consumida, os especialistas acreditam que estes eventuais erros não põem em causa os resultados do trabalho feito.

Vegetais sem provas dadas

No caso dos vegetais, quando consumidos sozinhos não revelaram grande impacto no risco da doença, com exceção dos brócolos, couve-flor, repolho e couve-de-bruxelas, que surgem associados a um aumento do risco.