família à mesa

Disfuncionais ou não, as famílias que partilham refeições comem melhor

Por Nutrição & Fitness

Uma família até pode ser disfuncional, desligada emocionalmente, mas quando os seus elementos se sentam juntos à mesa partilham uma característica importante: comem todos melhor.

O que é que uma coisa tem a ver com a outra? Foi isso que descobriu um novo estudo, realizado por investigadores da Universidade de Guelph, que confirma que “a reunião à volta da mesa de jantar é uma espécie de coisa mágica”.

As palavras são de Kathryn Walton, nutricionista e investigadora, que acrescenta: “é uma altura em que as famílias podem desacelerar dos seus dias ocupados e conversar, passar tempo juntas e resolver problemas. É também uma altura em que os pais podem modelar comportamentos alimentares saudáveis”.

A ‘magia’ que acontece à mesa faz com que os adolescentes e adultos jovens comam mais frutas e verduras e consumam menos fast-food e snacks, revela o mesmo trabalho.

O segredo está… na companhia

Publicado recentemente na revista JAMA Network Open, o estudo avaliou mais de 2.700 participantes, com idades entre os 14 e os 24 anos, que viviam com os seus pais e a quem foi perguntado com que frequência se sentavam para jantar com as suas famílias, quão bem funcionavam em família e qual o consumo de frutas e legumes, bebidas açucaradas, fast food e snacks.

Foi esta análise que permitiu verificar que os jantares de família estão associados a uma melhor ingestão alimentar no caso dos adolescentes e jovens adultos, façam estes parte de uma família ‘funcional’ ou nem por isso.

“Para usufruir dos muitos benefícios dos jantares em família, a refeição não precisa de ser um grande acontecimento”, afirma. “Mesmo que seja algo que a pessoa tira do congelador, ao qual junta apenas uma salada, essa será uma refeição nutricionalmente adequada”, refere a especialista.

O segredo não está na refeição, mas na companhia, até porque muitos dos adolescentes e jovens adultos que vivem com os pais estão ocupados com atividades extracurriculares noturnas, o que torna difícil encontrarem tempo para jantarem com os restantes elementos da família.

Outro dos segredos para o sucesso de uma refeição está na sua confeção, uma vez que, de acordo com a investigadora, quando os elementos da família ajudam a preparar a comida, são mais propensos a comê-la. 

Kathryn Walton, a responsável por este trabalho, não vai ficar por aqui, prometendo continuar a estudar formas de facilitar que as famílias ocupadas se juntem às refeições.