mãos de idosos

Jimi, Molly e Pimenta, a equipa canina que quebrou o isolamento dos idosos

Por Saúde Mental

Jimi, Molly e Pimenta foram os protagonistas de uma acção que decorreu em dois centros de dia da Cruz Vermelha Portuguesa, um trabalho que teve início a 19 de Outubro e que terminou em janeiro junto de idosos, realizado nos Centros de Dia de Santo Eloy, na Pontinha, e de Santa Isabel, em Campo de Ourique.

Uma acção realizada no âmbito do “Inovar é Divertido”, um dos projectos de Responsabilidade Social da Boehringer Ingelheim, que começou por surpreender os utentes, alguns mais receosos do que outros, acabando por conquistar todos os que beneficiaram desta intervenção assistida pelos animais. Na hora da despedida, ficam as saudades, mas fica também um novo elemento: um coelho anão, que vai fazer companhia aos idosos.

Composta por Jimi, Molly e Pimenta, um Labrador Retriever e duas fêmeas sem raça definida acompanhados pelas profissionais da Busca Sorrisos, um projecto de Intervenções Assistidas por Animais, a acção tinha como objectivo proporcionar aos utentes algumas tardes diferentes e, ao mesmo tempo, estimular as suas competências cognitivas, motoras e sociais.

Objectivos que, de acordo com as opiniões de quem beneficiou do projecto, foram cumpridos. “Foi uma iniciativa muito útil”, confirma Patrícia Caetano, responsável pelo Centro de Dia de Santa Isabel. “Foi uma actividade diferente e os utentes responderam bem.

Aliás, passavam a semana a perguntar quando é que os cães vinham, quando é que chegava a sexta-feira. Vai deixar muitas saudades…” Para a responsável, mais do que a animação que permitiu quebrar a rotina diária e diminuir o sentimento de solidão dos idos, esta iniciativa teve outro mérito: “Serviu para aproximar os idosos.”

Vantagens comprovadas para dimunuir a solidão dos idosos

De resto, a integração social e a comunicação são vantagens já cientificamente comprovadas, com os cães a tornarem-se facilitadores para a interacção entre os utentes e os técnicos, proporcionando uma maior participação e partilha, já que, na presença do animal, os utentes revelam uma maior vontade de participar nas actividades desenvolvidas e uma redução da agitação, isolamento, apatia e irritabilidade.

A acção já chegou ao fim, mas os benefícios do contacto com os animais vão continuar a fazer-se sentir, isto porque a Boehringer Ingelheim decidiu oferecer um coelho anão a cada um dos centros de dia, que promete ajudar a combater os estados depressivos, a ansiedade e a solidão dos idosos.

Ver também: Cuidar dos Idosos à distância de um clique.