“Embora os tratamentos com base na Imuno-Oncologia sejam já uma realidade muito presente, esta continua a ser uma área que encerra inúmeras potencialidades por explorar.” Quem o diz é Gabriela Sousa, Presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) e Diretora do Serviço de Oncologia Médica do IPO Coimbra que espera, por isso, que o “Prémio FAZ Ciência”, que vai distinguir o melhor projeto de investigação translacional nesta área desenvolvido em Portugal e que foi agora lançado, possa mudar esta realidade.

“Esperamos que os projetos a concurso venham apontar novas direções dentro daquele que é o caminho da mudança de paradigma no tratamento do cancro e possamos salvar mais vidas”, referiu ainda a especialista.

Especialistas da área oncologia na Comissão de Avaliação

A iniciativa, da Fundação AstraZeneca (FAZ) em conjunto com a SPO, terá um valor entre os cinco e os trinta e cinco mil euros, que será decidido pela Comissão de Avaliação, composta por cinco reconhecidos especialistas nacionais nesta área, em função das candidaturas apresentadas e que poderá premiar mais do que um projeto.

Da Comissão de Avaliação fazem parte : Carmo Fonseca, Presidente do Instituto de Medicina Molecular (IMM) e Professora Catedrática na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Gabriela Sousa, Presidente da SPO e Diretora do Serviço de Oncologia Medica do IPO Coimbra.

José Carlos Machado, Vice-presidente do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup) e Professor Associado da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, José Dinis Vogal (norte) da SPO, Diretor da Unidade de Investigação Clínica do IPO do Porto e Paulo Cortes, Vice-Presidente SPO, Coordenador da Unidade de Oncologia do Hospital dos Lusíadas são os outros nomes.

O prémio será anunciado e entregue durante o mês de março.