farejador de doenças

Mais perto de um dispositivo farejador de doenças que rivaliza com o nariz de um cão

Por Investigação & Inovação

Vários estudos já mostraram que cães treinados podem detetar muitos tipos de doenças, incluindo cancro do pulmão, mama, ovário, bexiga e próstata e, possivelmente, Covid-19, de uma forma simples: através do olfato. Em alguns casos, como é o do cancro da próstata, por exemplo, os cães apresentam uma taxa de sucesso de 99% na deteção da doença, cheirando amostras de urina dos pacientes. Agora, há um sistema farejador de doenças que pode vir a rivalizar com esta capacidade.

Ler Mais

adesivo para fechar feridas

Um adesivo médico inspirado em origami para fechar ferimentos internos

Por Investigação & Inovação

Muitas cirurgias são hoje realizadas através de procedimentos minimamente invasivos, em que é feita apenas uma pequena incisão, através da qual câmaras em miniatura e instrumentos cirúrgicos são enfiados no corpo para remover tumores e reparar tecidos e órgãos danificados. O processo tem como resultado menos dor e tempos de recuperação mais curtos. Mas há desafio que os cirurgiões enfrentam, que é o fechar das feridas internas e lacerações. O MIT acaba de lhes dar resposta com um adesivo.

Ler Mais

doença de alzheimer

Especialistas de olhos postos na prevenção da doença de Alzheimer

Por Investigação & Inovação

Um novo estudo pioneiro confirma o valor da prevenção da doença de Alzheimer com base numa abordagem integrada que usa exercícios diários, alimentos funcionais, juntamente com meditação. Elementos de um estilo de vida saudável, que podem ser complementados com o uso de biomarcadores , o que permite a deteção do Alzheimer até 20 anos antes do início dos sintomas da doença.

Ler Mais

neurológico

Obesidade responsável pelo aumento deste problema neurológico

Por Investigação & Inovação

O número de pessoas que sofrem de hipertensão intracraniana idiopática, um problema neurológico se caracteriza por um aumento da pressão cerebral, está a aumentar, revela um novo estudo publicado na revista Neurology. Esta descoberta está associada ao aumento das taxas de obesidade, sendo que, para as mulheres, os fatores socioeconómicos, como os rendimentos e a educação, podem desempenhar um papel de risco.

Ler Mais