Todos os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) vão passar a ter Unidades de Hospitalização Domiciliária. O despacho que o determina já foi publicado, tendo como objetivo aumentar o número de doentes assistidos.

Com início em 2018, o programa de hospitalização em casa é já uma realidade em 24 hospitais públicos. Uma iniciativa que, de acordo com os dados existentes, reduz não só a mortalidade, como as infeções, quedas e depressões.

Além de melhorar a acessibilidade aos cuidados de saúde, destaca-se ainda uma maior humanização, nomeadamente através do envolvimento familiar e de outros cuidadores, com ganhos em eficiência e em qualidade reconhecidos.

Contas feitas, este ano já foram assistidos mais de três mil doentes neste sistema de hospitalização, número que corresponde a um hospital físico com 150 camas.

Plano para hospitalização domiciliária vai arrancar

O diploma, agora publicado, determina o alargamento da hospitalização domiciliária a todos os hospitais do SNS.

Para isso, cada Administração Regional de Saúde (ARS) deve apresentar, no prazo de 30 dias contados a partir da data da publicação do despacho, um plano quantificado de alargamento das Unidades de Hospitalização Domiciliária aos estabelecimentos hospitalares que ainda não dispõem desta resposta, bem como da maximização da eficiência das equipas já existentes.

Assim, cada ARS deve apresentar um plano quantificado de alargamento das Unidades de Hospitalização Domiciliária aos estabelecimentos hospitalares que ainda não dispõem desta resposta, bem como da maximização da eficiência das equipas já existentes.