De cadeiras de rodas inteligentes à regeneração de tecidos: a bioengenharia em destaque no Porto

Por Atualidade

Melhorar a eficiência das aplicações na medicina regenerativa, combater doenças com elevada mortalidade ou inverter o fenómeno da resistência aos antibióticos são desafios colocados à bioengenharia e alguns dos temas em destaque na 9.ª Edição do Simpósio em Bioengenharia, que decorre nos dias 14 e 15 de abril, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

“Solving Tomorrow, Today” é o lema do encontro, promovido pelo Núcleo de Estudantes de Bioengenharia da FEUP e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), que vai levar ao Porto oradores nacionais e internacionais de referência nesta área.

Como Mark Post, Chief Scientific Officer na empresa responsável pela criação do primeiro hambúrguer concebido integralmente através da engenharia de tecidos (MosaMeat) ou Natalie Leys, do Centro de Investigação Nuclear Belga e a irlandesa Ilaria Cinelli, da Universidade de Galway, que vão abordar a aplicação da bioengenharia na exploração espacial.

A medicina veterinária vai estar também em discussão, com técnicas de reconhecimento facial para detetar expressões de dor em ovelhas, assim como a humana, com a apresentação de inovações científicas aplicadas no combate a doenças como o VIH ou estratégias que prometem melhorar a eficiência das aplicações da medicina regenerativa.

Investigadores nacionais não vão faltar, com a presença de Diana Pires (Centro de Engenharia Biológica), que vai falar sobre a potencialidade dos bacteriófagos no tratamento de infeções bacterianas, de Aurélio Campilho, do Centro de Investigação em Engenharia Biomédica do INESC TEC, que vai partilhar conhecimento na área das aplicações de Deep Learning na deteção de Retinopatia Diabética ou Luís Paulo Reis (Laboratório de Inteligência Artificial e Ciência de Computadores), com a sua palestra sobre uma cadeira de rodas inteligente.