Bolsas de Cidadania para associações de doentes

Bolsas de Cidadania voltam a reconhecer os projetos idealizados pelos doentes

Por Marque na Agenda

Já não são novidade, ou não fosse este o quinto ano que se realizam. As Bolsas de Cidadania Roche estão de volta e à espera dos projetos e ideias das associações de doentes e outras Organizações Não Governamentais (ONG) que promovam a saúde e informação dos doentes.

São, ao todo, seis as bolsas a atribuir, com um financiamento total de 60 mil euros, destinado a financiar projetos e ideias capazes de fomentar a participação dos cidadãos e dos doentes nos processos de decisão em saúde, de informar os doentes sobre os seus direitos de acesso à informação e ao envolvimento nas decisões individuais de tratamento.

Abertas até dia 12 de abril, as candidaturas deverão preencher os requisitos identificados no regulamento da iniciativa, disponível em https://bit.ly/2GRhah3.

A análise das candidaturas e a decisão sobre os vencedores das bolsas será feita por um júri independente e composto, no mínimo, por cinco elementos.

Seis vencedores em 2018

Na edição de 2018, a Roche atribuiu igual número de bolsas – seis -, no valor total de 60 mil euros.

Valor distribuído por várias entidades e projetos, como a Associação Portuguesa de Hemofilia e de outras Coagulopatias Congénitas, que mereceu destaque com o seu projeto “Ver o futuro”.

A esta juntou-se a Alzheimer Portugal, com uma Campanha para uma mudança social – “Amigos na Demência”, a Associação Desportiva Padel Sem Barreiras, com o projeto “Padel Adaptado – Prática Desportiva para TODOS e sem barreiras” e a Associação Portuguesa de doentes de Parkinson, com o seu “PROGRAMA COGWEB MOVE IT”.

A Fundação Rui Osório de Castro, com a “Renovação do PIPOP – Portal de Informação Português de Oncologia Pediátrica” e a Raríssimas – Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras, com o projeto “Corpo e Mente em Movimento”, foram também contempladas.