cera de abelha na casca da fruta pode causar alergias

Cuidado com a cera de abelha na casca da fruta

Por Atualidade, Investigação & Inovação

A presença de uma substância considerada estranha, que foi identificada na casca de maçãs, de laranjas e de outras frutas, motivou algumas queixas junto da DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, que confirma que o melhor, em caso de dúvida, é mesmo optar por descascar a fruta.  

Os especialistas não têm dúvidas em recomendar a ingestão de várias porções diárias de fruta, receita para uma vida mais saudável. E são várias as frutas que se podem (e devem) comer com casca, onde são maiores as concentrações de alguns nutrientes.

No entanto, recentemente foi detetada a presença de cera de abelha na casca de alguns frutos, que tem gerado preocupação.

A DECO esclarece que a substância “pode ser usada em produtos de confeitaria, como o chocolate, ou ainda em aperitivos, frutos secos e, como tratamento de superfície, em citrinos, melões, maçãs, peras, pêssegos e ananases”. 

Confirma que se trata de um aditivo alimentar permitido na União Europeia, que apresenta variadas funções, seja enquanto agente de revestimento ou de transporte de corantes, espessante ou ainda estabilizador. E reforça ainda que, apesar disto, “existem poucos dados sobre a segurança alimentar desta cera”.

Mas há “há indicações de que pode conter substâncias suscetíveis de causar reações alérgicas. Os indivíduos mais sensíveis devem, assim, informar-se junto do médico sobre os riscos do consumo, até porque esta cera não sai com a lavagem”.

“Na dúvida sobre a origem da fruta, o melhor é descascar”

Garantir o consumo mínimo diário de 400g de fruta e vegetais, o que corresponde a cinco porções destes alimentos, distribuídos ao longo do dia, assim como aumentar o consumo de fruta fresca na sua forma natural, são algumas das recomendações oficiais em termos do que é uma alimentação saudável. 

Recomendações que não devem ser esquecidas. E ainda que, segundo a DECO, existam “maiores concentrações de vitaminas e minerais na superfície que reveste a fruta”, não será a presença da cera de abelha que deve impedir o seu consumo.

O melhor conselho é simples: “na dúvida sobre a origem da fruta, o melhor é descascar”.