evitar as bolhas

Há ténis que ajudam a evitar as bolhas nos pés

Por Bem-estar

Muitos são os modelos de ténis, principalmente os que são desenhados para a prática de desporto, que têm um furo extra de cada lado. Uma vez que não é prático apertar os atacadores até cima, muitas vezes deixamos esse furo totalmente inutilizado. Mas ao que parece, este pequeno buraco tem uma função bem útil e que pode ajudar a melhorar a saúde dos seus pés. E a evitar bolhas.

De acordo com o canal de YouTube Illumiseen, serve para fazer um nó extra que ajuda a fixar o pé dentro da sapatilha, evitando assim a criação de bolhas ou feridas.

Para fazer este nó, que ganhou o nome de nó de calcanhar, tal como pode ver neste vídeo do YouTube, é muito simples. Primeiro, enfia os atacadores em cada buraco extra, até ter duas “orelhas de coelho”.

Depois, coloca o atacador na “orelha de coelho” oposta e puxa até ficar bem apertado e sem qualquer folga, dando em seguida um nó normal. Esta técnica pode também ser utilizada para o calçado de caminhada, tanto para ténis como para botas.

Meias, tamanhos e outras dicas

Mas não é só a forma como ata os seus ténis que pode estar a causar-lhe este problema. Uma vez que as bolhas são causadas pela fricção do pé dentro do sapato, há outros fatores que deverá também ter em conta para travar este problema.

Um dos aspetos a verificar é o tamanho sapatilhas, pois um tamanho demasiado grande (ou pequeno) faz com que haja mais fricção do que o necessário. Outro detalhe a ter em conta é o material das meias que usa, pois há materiais que podem causar mais fricção que outros.

Para evitar o aparecimento destas bolhas poderá ainda aplicar, em pequenas quantidades, uma pequena porção de vaselina nas áreas mais afetadas, como o calcanhar ou a planta do pé.

Porque é que a dança ou o ténis ajudam a saúde

Por Bem-estar

Já sabemos que na receita para uma vida mais saudável tem de entrar a atividade física. Mas será que estamos a praticar o tipo certo de exercício? As autoridades de saúde britânicas garantem que não e explicam porque é que a dança, o ténis ou andar de bicicleta são a escolha certa.

É da Public Health England e do Center for Aging Better, ambos britânicos, que vem o alerta e a confirmação: as atividades de garantem o fortalecimento e equilíbrio dos músculos e ossos são essenciais para a saúde dos adultos, sobretudo os maiores de 65 anos.

De resto, uma força muscular reduzida aumenta em 76% o risco de queda nos mais velhos, tornando três vezes maior a probabilidade de voltar a acontecer.

As atividades de fortalecimento e equilíbrio não só ajudam a evitá-las, como melhoram o humor, os padrões de sono, aumentam os níveis de energia e reduzem o risco de uma morte prematura.

A receita para prolongar a juventude

E que atividades são estas, perguntará o leitor? As autoridades britânicas deixam a lista, composta por jogos com bolas, desportos praticados com raquetes, dança, treino de resistência (sobretudo com pesos, mas que inclui exercícios de peso corporal que podem ser realizados em qualquer lugar), a realizar pelo menos duas vezes por semana.

Alison Tedstone, uma das investigadoras do Public Health England, salienta que “estamos todos a viver mais e este conjunto de atividades físicas vai ajudar-nos a ficar bem na juventude e a permanecermos independentes à medida que envelhecemos”.

“Pode também ajudar a aliviar aqueles momentos difíceis ou que mudam a vida, como a gravidez, menopausa, início ou diagnóstico de doença, reforma e recuperação após a hospitalização.”

A atenção não pode ser dada apenas ao exercício aeróbico, salienta Jess Kuehne, outro dos investigadores. “Existe um potencial significativo de poupança para os serviços de saúde e assistência social se fizermos mais para promover o fortalecimento muscular e equilibrar as atividades e reconhecermos o seu papel para ajudar a manter as pessoas saudáveis ​​e independentes por mais tempo, sobretudo à medida que envelhecem”.