Problemas de tiroide associados ao aumento do risco de demência

hipotiroidismo

As pessoas de mais idade com hipotiroidismo, ou seja, uma tiroide hipoativa, podem ter um risco aumentado de desenvolver demência, mostra um estudo publicado na Neurology®, a revista médica da Academia Americana de Neurologia. Um risco que é ainda maior entre as pessoas que estavam a tomar medicação para o problema.

O hipotiroidismo ocorre quando a glândula da tiroide não produz hormonas suficientes, o que pode retardar o metabolismo, com sintomas como cansaço, ganho de peso e sensibilidade ao frio.

“Em alguns casos, os distúrbios da tiroide foram associados a sintomas de demência, que podem ser reversíveis com o tratamento”, refere o autor do estudo, Chien-Hsiang Weng, especialista da Brown University, nos EUA. “Embora sejam necessários mais estudos para confirmar estas descobertas, as pessoas devem estar conscientes dos problemas de tiroide como um possível fator de risco para a demência”, acrescenta.

Não foi, no entanto, aqui encontrada nenhuma associação entre o hipertiroidismo e a demência.

O trabalho, que comparou dados de pessoas com e sem hipotiroidismo, confirmou que as que têm o diagnóstico da doença apresentam um risco maior. Quando ajustados outros fatores que poderiam afetar o risco de demência, entre os quais o sexo, idade, pressão alta e diabetes, descobriu-se que pessoas com mais de 65 anos com hipotiroidismo apresentavam um risco 80% maior de desenvolver demência do que pessoas da mesma idade que não tinham este problema. Já para aqueles com menos de 65 anos, ter histórico de hipotiroidismo não foi associado a um risco aumentado de demência.

Quando se analisaram apenas as pessoas que tomavam medicação para o hipotiroidismo, verificou-se que apresentavam três vezes mais probabilidade de desenvolver demência.

Weng salienta que este é um estudo observacional e que não prova que o hipotiroidismo causa de demência, mostrando apenas uma associação entre as duas doenças.

Posts relacionados