Cada vez mais perto de uma nova vacina contra a tuberculose

vacina contra a tuberculose

“Estamos um passo, cauteloso mas entusiasmante, mais próximo de uma vacina para tuberculose.” As palavras são de Paula I Fujiwara, diretora científico da União Internacional Contra a Tuberculose e as Doenças do Pulmão (A União), proferidas durante a 50.ª Conferência Mundial da União sobre Saúde Pulmonar, realizada em Hyderabad, na Índia.

“Uma vacina é a melhor ferramenta de prevenção e o anúncio de hoje é uma notícia bem-vinda, mas à medida que os investigadores discutem como levar o estudo para a sua fase final, ao mesmo tempo precisamos de fazer tudo o que pudermos para prevenir a tuberculose com os medicamentos que já temos à nossa disposição”, acrescenta.

Em comunicado, Paula I Fujiwara recorda que “a tuberculose é uma doença evitável, tratável e curável, mas que no ano passado matou 1,5 milhões de pessoas, mais do que o VIH/sida. Não podemos acabar com a emergência da tuberculose a menos que se aumente drasticamente a prevenção nas partes do mundo em que a estamos a tratar. O custo da inação é mais sofrimento e mortes desnecessárias”.

A Índia apresenta, atualmente, a maior carga da doença do mundo, o que levou o governo indiano a declarar guerra contra a tuberculose, prometendo a sua erradicação até 2025, cinco anos antes a meta globalmente acordada.

Em todo o mundo, os números da Organização Mundial da Saúde, referentes a 2018, apontam para 10 milhões de pessoas com tuberculose.

Por cá, a incidência é, segundo a Direção-Geral da Saúde, de 17,5 casos por cada cem mil habitantes, enquanto na União Europeia não vai além dos 10,7 por cada cem mil. 

Novidade contra a tuberculose testada em milhares de adultos

A nova vacina, que se encontra ainda em fase de testes mas que tem, até agora, revelado resultados que a tornam a nova esperança na luta contra a doença, é composta por proteínas de bactérias que desencadeiam uma resposta imunitária.

A novidade já foi testado em mais de 3.500 adultos em regiões onde a tuberculose é endémica: na África do Sul, Quénia e Zâmbia, revelaram os investigadores envolvidos no projeto.

Posts relacionados