Força do aperto de mão fraca pode sinalizar problemas graves de saúde

aperto de mão

E se lhe disséssemos que a força do seu aperto de mão pode dizer muito sobre a sua saúde? De facto, a força muscular é um poderoso preditor de mortalidade, que pode ser avaliado de forma rápida e barata através da medição da força de preensão manual. Num novo estudo, investigadores desenvolveram uma forma de o fazer.

A maioria das pessoas não pensa duas vezes em fazer coisas como abrir frascos de compota ou carregar os sacos de compras do supermercado, mas a força do aperto de mão é uma ferramenta de rastreio eficaz para diferentes problemas de saúde.

Se a chamada força de preensão manual de uma pessoa for baixa, isso pode ser um indicador de problemas de saúde subjacentes e não apenas nas pessoas com mais idade – a força de preensão manual tem sido associada a doenças em adultos mais jovens.

Um grande número de estudos mostrou que uma baixa força de preensão manual pode ser uma manifestação de problemas associados a doenças cardíacas e pulmonares, assim como foi associada a uma expectativa de vida inferior.

O que falta para o seu uso na prática clínica são pontos que permitam uma avaliação desta força aplicada à população em geral, considerando também a relação com o sexo e altura da pessoa, bem como o declínio da força de preensão palmar como resultado do envelhecimento normal.

No seu estudo, o investigador Sergei Scherbov, do International Institute for Applied Systems Analysis (IIASA), Sonja Spitzer, do Centro Wittgenstein para Demografia e Capital Humano Global e Nadia Steiber, da Universidade de Viena, na Áustria, tentaram esclarecer qual o nível de força de preensão manual que um médico deve considerar para pedir exames mais aprofundados sobre um doente.

“Em geral, a força do aperto de mão depende do sexo, idade e da altura de uma pessoa. A nossa tarefa foi encontrar o limiar relacionado com a força de preensão manual que levaria um profissional a fazer mais exames. É semelhante à medição da pressão arterial: quando o nível de pressão arterial está fora de um determinado intervalo, o médico pode decidir prescrever um determinado medicamento ou enviar o doente para um especialista para um exame mais aprofundado”, explica Scherbov.

Um aperto de mão que pode dizer muito

Em contraste com estudos anteriores, os autores compararam a força de preensão manual dos indivíduos não com uma população de referência saudável, mas com indivíduos comparáveis ​​em termos de sexo, idade e altura.

E os resultados indicam que uma força de preensão manual, ou seja, um aperto de mão ligeiramente abaixo da média de uma população comparável (considerando sexo, idade e altura de uma pessoa) é indicativa de problemas de saúde que levam à morte precoce.

“A força de preensão manual é um teste barato e fácil de realizar, mas pode ajudar no diagnóstico precoce de problemas de saúde. A monitorização da força de preensão manual de idosos (e de pessoas de meia-idade) pode trazer grandes benefícios para a saúde pública das populações em envelhecimento”, afirma Steiber.

“As nossas descobertas deixam claro que a força de preensão manual é uma medida muito precisa e sensível das condições de saúde subjacentes. Por isso, sugerimos que seja usado como ferramenta de triagem na prática médica.”

“É importante realçar que não estamos a sugerir que as pessoas devam treinar a força de preensão manual para diminuir os riscos de mortalidade. Muito provavelmente, se alguém melhorar a sua força de preensão manual através de exercício, haverá pouco ou nenhum impacto na sua saúde geral. No entanto, a baixa força de preensão manual pode servir como indicador de incapacidade, pois reflete uma baixa força muscular, que está associada a um maior risco de morte. Um estilo de vida saudável e a prática de exercício continuam a ser as melhores abordagens para manter uma boa saúde ou melhorá-la a longo prazo”, conclui Spitzer.

Posts relacionados