Os benefícios de dançar para o bem-estar físico e emocional

dançar faz bem à saúde

O nosso corpo está desenhado para se mover e o movimento está presente em tudo o que fazemos no dia-a-dia. Mas com o tempo, temos perdido a necessidade de nos mexermos – conduzimos carros, trabalhamos sentados em frente ao computador, passamos o serão a ver televisão – e tornámo-nos na primeira geração em que o movimento passou a ser considerado um inconveniente. Mas há tantas formas de nos mexermos e dançar é uma delas.

O exercício físico liberta vibrações positivas, faz-nos sentir vivos e promove a criação de químicos naturais no nosso corpo responsáveis pela felicidade, esclarece Danah Mor, fundadora do projeto MorLife Wellness e autora do livro Shine Brighter Every Day.

Num momento de confinamento, como o que estamos a viver atualmente, em que passamos a ter de ficar em casa e alterar todos os nossos hábitos, mantermo-nos positivos e saudáveis, tanto a nível físico como a nível psicológico, tornou-se mais importante que nunca e movimentarmo-nos pode ser um ingrediente essencial para o conseguirmos.

Não é por estarmos em casa que temos desculpa para não praticar exercício físico. Há várias formas de nos mexermos sem precisarmos de estar num ginásio ou fora de casa, como é o caso da dança.

“Podemos dançar em qualquer lugar e quando quisermos. Basta pôr música e dançar até transpirarmos a camisola. Dançar não só nos põe em movimento como nos permite expressar de uma forma libertadora. E a melhor parte é que não precisamos de saber dançar ou ser bailarinos profissionais, basta mexermo-nos ao ritmo da música”, explica Danah Mor.

Os benefícios de dançar

De entre os vários benefícios de dançar, destaca aqueles que considera mais relevantes para o nosso bem-estar físico e emocional. Primeiro, liberta o corpo de emoções acumuladas.

Quando nos mexemos, e especialmente quando nos deixamos levar pela música e nos permitimos expressar através do movimento, saímos da nossa própria cabeça e centramo-nos no nosso corpo. Mexermo-nos livremente através da dança pode ajudar a libertar emoções acumuladas e traumas emocionais que se transformam em lesões psicológicas, criando espaço para sentimentos positivos e alívio emocional.

Dançar aumenta a capacidade cognitiva. Um estudo que procurava perceber os benefícios de diferentes atividades, desde andar, nadar, dançar, até jogar cartas, fazer palavras-cruzadas ou ler, chegou à conclusão que apenas a dança é capaz de proteger-nos da demência, Alzheimer e outras doenças relacionadas com o cérebro.

Outro estudo, de 2003, da Albert Einstein College of Medicine, descobriu que a dança tem a capacidade de melhorar a saúde do cérebro. Dançar envolve um esforço mental e uma interação social e este tipo de estímulo ajuda a reduzir o risco de demência. 

Ajuda a expulsar toxinas do corpo, uma vez que exercícios aeróbicos promovem a circulação do oxigénio no nosso corpo e acelera a cura de inflamações.