Derrotas da equipa de futebol preferida podem causar ataques cardíacos

futebol

Não é agora o caso, já que, por culpa da pandemia de COVID-19, o desporto rei está fora de campo. Mas segundo um novo estudo, a derrota das equipas de futebol preferidas podem desencadear ataques cardíacos em fãs do sexo masculino.

A investigação que o defende foi apresentada no EAPC Essentials 4You, uma plataforma científica da Sociedade Europeia de Cardiologia. E mostra que “os maus resultados das equipas de futebol profissional local coincidiram com mais ataques cardíacos em homens residentes nessas zonas”, segundo explica Lukasz Kuzma, especialista da Universidade Médica de Bialystok, na Polónia, e autor do estudo.

“As descobertas sugerem que o stress mental e emocional da derrota pode provocar eventos cardíacos.”

Fãs masculinos de futebol em risco

O estudo examinou a relação entre desempenho de uma equipa de futebol polaca, o Jagiellonia Bialystok, e as admissões hospitalares por síndromes coronárias agudas. O clube é conhecido pelo grande grupo de adeptos ferrenhos, uma média de 17.174 por partida, números da temporada 2016/17.

E incluiu 10.529 pessoas com síndromes coronárias agudas (ataque cardíaco e angina instável), internadas no Hospital Clínico da Universidade Médica de Bialystok, entre 2007 e 2018 e com uma idade média 66,6 anos (62% dos quais homens).

A equipa realizou 451 partidas nacionais e europeias durante o período de estudo e, no dia seguinte a uma derrota em casa, assistiu-se a um aumento de 27% nas admissões masculinas por síndromes coronárias agudas (não foi encontrada nenhuma associação nas mulheres).

“Emoções fortes podem induzir ataques cardíacos e o nosso estudo indica que perder um jogo em casa pode afetar os adeptos”, refere Kuzma.

Para os fãs, sobretudo os homens com estilos de vida pouco saudáveis, o especialista deixa um conselho: “praticar exercício físico regularmente e evitar o tabaco e o consumo excessivo de álcool. Essas etapas são a chave para apoiarem a sua equipa favorita durante o tempo que a pessoa desejar, sem prejudicar a sua própria saúde”.

Posts relacionados