O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) acionou, em 2019, mais de um milhão de vezes os meios de emergência em resposta a situações de doença súbita ou trauma, cuja triagem foi feita pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), revela a instituição.

Foram mais de 1,3 milhões as vezes que os meios de meios de emergência foram acionados, entre os quais os quatro helicópteros do Serviço de Helicópteros de Emergência, que responderam a 963 ocorrências, o que, por dia, significa cerca de três missões. 

A estes juntaram-se as 44 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), distribuídas por todo o território continental, que foram ativadas 97.970 vezes, ou seja, 268 todos os dias, o que significa, em média, que cada viatura foi acionada seis vezes por dia.

Já as Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida, tripuladas por enfermeiros ou técnicos de emergência pré-hospitalar e que têm a capacidade de implementar cuidados diferenciados, foram deram resposta a 36.616 ocorrências.

Ambulâncias do INEM responderam 880 mil vezes

Da lista de meios ao serviço do INEM contam-se ainda 56 ambulâncias de emergência médica, que receberam, em 2019, 140.433 pedidos; os motociclos de emergência médica foram ativados para 6.110 ocorrências, enquanto as quatro ambulâncias de transporte inter-hospitalar pediátrico, que realiza o transporte de recém-nascidos e doentes pediátricos em estado crítico entre unidades de saúde, fizeram 1.439 serviços.

Em comunicado, o INEM refere ainda que as unidades móveis de intervenção psicológica de emergência, a quem cabe o transporte até ao local das ocorrências dos psicólogos do Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC), tiveram que dar resposta a 610 ocorrências. 

Por fim, as ambulâncias do INEM sediadas em Postos de Emergência Médica das Delegações da Cruz Vermelha Portuguesa e Corpos de Bombeiros foram acionadas 880.604 vezes.