os problemas causados pelo eczema

Eczema tem maior impacto na qualidade de vida do que diabetes

Por Atualidade, Investigação & Inovação

Comichão intensa, pele extremamente seca, vermelhidão… os sintomas são bem conhecidos por quem sofre com eczema, também conhecido como dermatite atópica. Sintomas que, garante um estudo, estão associados a uma pior qualidade de vida do que aquela proporcionada por doenças como diabetes ou até hipertensão.

Publicado na revista Annals of Allergy, Asthma and Immunology, o estudo entrevistou 602 adultos com a doença. E relata que os sintomas que causam maior inpacto são comichão (54%), secura excessiva ou descamação (19%) e pele vermelha ou inflamada (7%). 

“Uma elevada percentagem de todos os inquiridos ​​considerava a saúde saúde geral apenas razoável (25%) ou pobre (15%) e relatava estar pouco (16%) ou muito (11%) insatisfeito com a vida, comparando com os que não têm eczema”, explica Jonathan I. Silverberg, principal autor do estudo.

Um grande peso

Os investigadores verificaram que o eczema está associado a qualidade de vida pior do que várias outras doenças crónicas comuns, incluindo doenças cardíacas, diabetes e hipertensão. De facto, foi mesmo associado a uma qualidade de vida drasticamente inferior a todas as outras doenças crónicas examinadas.

“Nós não ficamos surpreendidos ao descobrir que os sintomas do eczema podem levar a distúrbios de saúde mental e prejudicar a qualidade de vida”, refere alergologista Luz Fonacier, co-autor do estudo.

“Mesmo aqueles com eczema leve relataram que este limitou o seu estilo de vida, teve impacto em atividades ou impediu interações sociais. Os efeitos nocivos foram ainda piores para aqueles com moderado e grave. Quase metade dos adultos com eczema grave relatou um peso grande nas suas vidas.”

Tratamentos permitem o alívio

As boas notícias para quem sofre deste problema é a existência de novos tratamentos, capazes de reduzir a gravidade dos sintomas, como a comichão e pele excessivamente seca.

O eczema é uma doença crónica e os sintomas podem ir e vir, mas um alergologista pode ajudar a encontrar alívio.