alergias

Um terço da população portuguesa sofre de alergias

Por Bem-estar

Em Portugal, estima-se que as alergias afetem cerca de um terço da população. Segundo os dados atuais, “30% da população tem queixas de rinite, 18% tem concomitantemente queixas de conjuntivite, 6,7% asma e cerca de 5% reportam alergia alimentar”, sublinha Pedro Martins, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), a propósito do Dia Mundial da Alergia, que se assinala esta quarta-feira (8 de julho).

Ler Mais

Podem as farmácias ajudar no controlo da rinite alérgica? Há um projeto que vai descobrir

Por Atualidade

Afeta cerca de 30% da população mundial e ainda que continue a ser desvalorizada, a rinite alérgica tem um forte impacto negativo na qualidade de vida dos doentes. Avaliar o papel das farmácias na mudança deste cenário é o que um projeto do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde se prepara agora para avaliar.

“Os farmacêuticos são a base da gestão da rinite alérgica na maioria dos países”, refere João Fonseca, especialista em Imuno-Alergologia e investigador do CINTESIS na área das tecnologias aplicadas à saúde. É por isso que defende ser “possível aos farmacêuticos identificar, acompanhar e rever os pacientes com rinite alérgica nas farmácias comunitárias”.

A reunião ‘ARIA@FARMA: O papel da Farmácia Comunitária apoiada por mobile Health na alergia respiratória’, agendada para o dia 1 de junho e que vai contar com a presença de especialistas nacionais e internacionais, é o primeiro passo na realização de um projeto internacional, que pretende “comparar o impacto do uso de um sistema de apoio à decisão, usando a aplicação Allergy Diary, com os cuidados padrão no controlo da rinite alérgica, no âmbito da farmácia comunitária”.

Farmácias vão ajudar os doentes

De acordo com o investigador, “os farmacêuticos são profissionais de saúde que merecem a confiança dos pacientes e tendem a funcionar num regime de proximidade e acessibilidade do mais alto nível”. E tendo em conta que a maioria dos doentes com rinite alérgica automedica-se com medicamentos adquiridos nas farmácias, o controlo da doença pode mesmo passar pela ação destes profissionais.

Isto com a ajuda do mobile Health (mHealth), uma das áreas que mais promete quando o tema é a monitorização à distância e autogestão das doenças crónicas, entre as quais a rinite alérgica. 

Desta forma, o projeto vai contar com a ajuda de 120 farmácias que, em todo o País e ao longo de 14 dias, vão convidar os seus clientes com sintomas de rinite a serem acompanhados com o apoio da aplicação Allergy Diary. Os resultados serão depois comparados com um grupo de controlo, que irá contar com o aconselhamento habitual.