Com a chegada do verão, começamos a olhar para o nosso corpo com outra preocupação. Alguns correm ao ginásio, mas há quem precise de uma ajuda cirúrgica para remover algum excesso de gordura localizada. É aqui que entra em cena a abdominoplastia.

Para mulheres que estiveram grávidas e cujos músculos da barriga perderam alguma firmeza ou para  pessoas que, após um processo de perda de peso, necessitam de remover parte da pele em excesso, a solução poderá, então, passar pela realização deste procedimento, “que inclui a remoção cirúrgica do excesso de pele e o excesso de gordura do abdómen, realizada geralmente sob anestesia geral”, explica Luiz Toledo, especialista mundial de cirurgia plástica e estética.

Numa primeira fase, a gordura poderá ser removida por lipoaspiração, seguindo-se a incisão para remover o excesso de pele, que deixa uma cicatriz de um lado ao outro do quadril e outra à volta do umbigo, que é também reposicionado no local correto.

Cuidados que não se podem esquecer

Embora não exista uma idade específica para a realização desta intervenção, Luiz Toledo explica que “há um procedimento chamado mini-abdominoplastia, indicado geralmente para pacientes mais jovens, com uma pequena quantidade de pele que precisa de ser removida, deixando uma cicatriz muito mais curta”.

Tratando-se de uma cirurgia, existem sempre alguns cuidados no pós-operatório que devem ser respeitados, para garantir o correto processo de cicatrização.

“Não levantar pesos, como sacos de compras e crianças durante três semanas; não conduzir durante duas semanas; banhos apenas de chuveiro e rápidos enquanto a incisão está a cicatrizar; visita pós-operatória regular para trocar curativos e observar a recuperação; e não expor a cicatriz ao sol durante um mês” são alguns dos conselhos que Luiz Toledo refere.

O regresso a uma vida normal, que poderá incluir a prática de exercício físico, ocorre um mês após a cirurgia.