Sente-se infeliz e irritadiço? O tratamento pode ser mais simples do que aquilo que pensa e passa por um passeio num dos parques na cidade.

De acordo com um estudo inédito, parece que os visitantes dos parques urbanos usam palavras mais felizes e expressam menos negatividade no Twitter do que faziam antes da sua visita. E o bom humor tem uma duração de até quatro horas.

O efeito é tão forte, descobriu uma equipa de cientistas da Universidade de Vermont, que o aumento da felicidade após uma visita a um parque é mesmo o equivalente ao aumento do humor na altura do Natal, de longe o dia mais feliz do ano no Twitter.

Mudar o humor com passeios nos parques na cidade

Com mais pessoas a viver nas cidades e as taxas crescentes de transtornos do humor, este estudo pode ter implicações importantes para a saúde pública e o planeamento urbano.

Durante três meses, uma equipa de cientistas da Universidade de Vermont estudou centenas de tweets diários, sobre os 160 parques em São Francisco.

“Verificamos que sim, em todos os tweets, as pessoas são mais felizes em parques”, refere Aaron Schwartz, um estudante de pós-graduação da Universidade de Vermont, líder da investigação.

“Mas o efeito foi mais forte em grandes parques regionais com cobertura vegetal extensa. Ou seja, não é apenas sair do trabalho ou ir para a rua que provoca um impulso positivo: o estudo revela que áreas com mais vegetação têm um maior impacto”, acrescenta.

“Nas cidades, os grandes espaços verdes são muito importantes para a sensação de bem-estar das pessoas.”

De acordo com Schwartz, isso significa que os esforços para proteger e expandir as áreas naturais urbanas vão muito além das questões estéticas.

“Temos cada vez mais evidências de que é fundamental promover a saúde mental”, reforça Taylor Ricketts, coautor do novo estudo. 

Palavras mais e menos felizes

Para este estudo, os voluntários classificaram palavras que consideraram mais felizes numa escala de um a nove. Calculando a média das respostas dos voluntários, cada palavra recebeu uma pontuação: “feliz” recebeu 8,30; “hahaha” 7,94 e “parques” 7,14.

“Preso” ficou-se pelos 3.08, “acidente” 2.60 e “prisão” 1.76. 

Usando estas pontuações, a equipa recolheu cerca de cinquenta milhões de tweets de todo o mundo, todos os dias, e calculou a pontuação média de felicidade associada às palavras usadas.

Capacidade para intervir na saúde mental

Através de um sistema de localização, foi possível identificar quais os parques onde foram feitos os tweets.

“Este é o primeiro estudo que usa o Twitter para examinar como o sentimento do utilizador muda antes, durante e depois das visitas a diferentes tipos de parques”, refere Aaron Schwartz, outro dos responsáveis pelo estudo. “E os parques mais verdes mostram um impulso maior.”

“Estar na natureza oferece benefícios numa escala que não se encontra disponível para compra numa loja, ou para download”, explica Chris Danforth, professor da Universidade de Vermont. 

Este e outros cientistas consideram que são vários os mecanismos possíveis através dos quais os parques na cidade podem melhorar a saúde mental.

“Verificamos que a linguagem negativa – como ‘não faz’,’não’, ‘não pode’ – diminuiu no período imediatamente a seguir às visitas aos parques urbanos “, reforça Danforth.