Crianças portuguesas vão receber fruta, legumes e leite nas escolas

crianças das escolas com acesso a fruta, legumes e leite

As crianças da União Europeia (UE) vão, neste ano lectivo e à semelhança do que aconteceu em anteriores, receber fruta, legumes e leite nas escolas que frequentam. Entre estas estão as crianças portuguesas.

Este programa, que visa encorajar hábitos alimentares saudáveis junto das crianças, inclui a distribuição de fruta, legumes e produtos lácteos, bem como programas educativos específicos para sensibilizar os alunos para a importância de uma boa nutrição e explicar-lhes como os alimentos são produzidos.

No ano letivo passado, foram mais de 30 milhões de crianças que, em toda a União Europeia, beneficiaram desta iniciativa em favor de uma alimentação saudável.

“É importante que as crianças saibam de onde vêm os alimentos e todo o trabalho que a sua produção implica” refere em comunicado, Phil Hogan, Comissário Europeu responsável pela agricultura e desenvolvimento rural.

“Graças aos programas da UE nas escolas, as crianças não só aprendem sobre a agricultura e a produção alimentar, como podem saborear produtos de qualidade e beneficiar dos seu valor nutritivo. Nunca é demasiado cedo para apreciar boa comida!” 

150 milhões para escolas da UE

No quadro deste programa, todos os anos letivos são reservados 150 milhões de euros para a fruta e os legumes e 100 milhões de euros para o leite e outros produtos lácteos. Apesar de ser de participação facultativa, todos os Estados-Membros da UE optaram por aderir ao programa, seja na sua totalidade ou apenas parcialmente.

A escolha dos produtos a distribuir baseia-se em considerações de ordem ambiental e sanitária, na sazonalidade, na variedade e na disponibilidade dos produtos. Os Estados-Membros podem encorajar a aquisição de produtos locais ou regionais, os produtos biológicos, as cadeias de abastecimento curtas, os benefícios ambientais e os sistemas agrícolas de qualidade.

A distribuição de fruta, legumes e leite é acompanhada por uma série de atividades educativas para as crianças das escolas. Quase todos os países criaram comités com a participação das autoridades e das partes interessadas dos setores da agricultura, da saúde e da educação, muitos dos quais se reuniram no decurso do ano letivo para supervisionar as atividades.

Posts relacionados