Meias de compressão desnecessárias para evitar coágulos após cirurgia, revela estudo

meias de compressão

O risco de coágulos sanguíneos após uma cirurgia é o mesmo, independentemente de os doentes usarem meias de compressão ou não, revela um novo estudo.

Realizado pelo Imperial College London, o trabalho envolveu doentes de sete hospitais do Reino Unido, e verificou que as pessoas com risco médio a elevado de coágulos sanguíneos após uma cirurgia não tinham maior probabilidade de desenvolver coágulos se usassem meias de compressão, comparando com os que não usavam.

A cirurgia e a inatividade após esta podem causar trombose venosa profunda (TVP), situação em que um coágulo sanguíneo se desenvolve nas veias profundas das pernas, causando dor, inchaço ou complicações a longo prazo, existindo o risco de parte do coágulo se romper e se alojar nos pulmões, bloqueando o fornecimento sanguíneo – a embolia pulmonar -, que pode ser fatal se não for tratado rapidamente.

O cuidado preventivo da TEV é necessário para a maioria dos doentes cirúrgicos e as principais estratégias são a medicação anticoagulação e as meias de compressão elástica, para aplicar pressão nas pernas por forma a manter o fluxo sanguíneo. 

No entanto, este novo estudo revela a necessidade de uma mudança de estratégia. Alun Davies, professor de cirurgia vascular no Departamento de Cirurgia e Cancro do Imperial College London e principal autor do estudo, considera que “as meias de compressão eram usadas muito antes do desenvolvimento de anticoagulantes. Mas a eficácia das meias na prática médica moderna causa dúvidas e agora mostramos que os doentes com risco médio e alto risco se saem bem sem elas”.

Uso de meias de compressão sem vantagens

O estudo envolveu 1858 pessoas submetidas a uma cirurgia eletiva e com risco médio e alto de trombose, recrutados em sete hospitais do serviço nacional de saúde britânico.

Metade foi tratada no pós-operatório com os cuidados recomendados, com medicação e as meias de compressão; a outra metade apenas com medicamentos e todos acompanhados durante 90 dias após a cirurgia, com exames para testar a presença de coágulos sanguíneos.

Os investigadores descobriram que não houve diferença significativa na proporção de pessoas que desenvolveram um coágulo sanguíneo nos dois grupos, o que significa que as meias de compressão não proporcionaram nenhum benefício adicional.

Posts relacionados