Ter um animal de companhia contribui positivamente para o desenvolvimento das crianças, nomeadamente ao nível da sua autoestima, comunicação não-verbal, empatia e compaixão, além do sentido de responsabilidade. Mas são precisos certos cuidados, como a desparasitação animal, para impedir a transmissão de zoonoses (doenças transmissíveis entre animais e humanos). O seu animal está desparasitado?

“Qualquer cão e gato que viva em casas com crianças com menos de cinco anos devem ser desparasitado mensalmente”, afirma Octávio Carraça Pereira, médico veterinário.

As crianças levam, com maior frequência, as mãos à boca e, por isso, a probabilidade de ficarem contaminadas com formas infecciosas existentes no ambiente aumenta. Além disso, o seu sistema imunitário encontra-se em constituição, o que as torna ainda mais suscetíveis. 

Durante uma ida ao exterior, tanto os animais, como os humanos podem transportar até casa parasitas e ovos de pulgas agarrados às patas, ao pelo, à roupa e ao calçado. Além do incómodo que representam para o animal, estes parasitas, como os mosquitos, pulgas ou carraças, são agentes de transmissão de doenças, que poderão também ser transmitidas aos mais novos. 

Geralmente, o animal de companhia deve ser desparasitado pelo menos quatro vezes por ano, caso tenham acesso ao exterior. Contudo, tal varia consoante a idade, o estilo de vida do animal, o local e a composição do agregado familiar, sendo que é importante realizar uma avaliação adequada numa consulta de medicina veterinária. 

Segundo o Center for Disease Control and Prevention, dos EUA,, as crianças com animais em casa têm níveis de ansiedade menores e demonstram menor stress, assim como apresentam uma maior capacidade para interação social e espírito de descoberta.

Além disso, esta interação pode ajudar no vínculo com a natureza e os seres vivos, mas também na aprendizagem sobre a vida, como o sentimento de perda e desgosto quando um animal de companhia morre. A nível físico, a relação com os animais também é uma forma de promoção da atividade física. 

Assim, “a desparasitação faz parte da tutoria responsável de qualquer animal de estimação, a par da vacinação, alimentação saudável, socialização e treino”, conclui Octávio Carraça Pereira.