Mais do que bons companheiros, os cães têm outras vantagens, que se refletem na saúde. A confirmação é dada por um estudo, o primeiro do género a analisar o efeito dos amigos de quatro patas na saúde mental nos elementos da comunidade em geral ao longo do tempo.

Os problemas de saúde mental são comuns em todo o mundo, contribuindo para 14% da carga global de doenças. Há muito que as pessoas acreditam que os animais, sobretudo os cães, são uma fonte de apoio e um amortecedor para o stress, no entanto, a maioria das investigações concentrou-se nos benefícios para a saúde física, e não mental.

Publicado no Journal of Public Health pela Oxford University Press e liderado pela Universidade da Austrália Ocidental (UAO) e pelo Telethon Kids Institute, este estudo examinou o efeito da posse de cães na saúde mental durante um período de dois anos.

Dados de 1.023 participantes de Perth, na Austrália, foram recolhidos e medida a sua condição da saúde mental, o número dos que tinham cães e os minutos semanais despendidos a passear com os cães.

As vantagens dos cães

A principal autora do estudo, Hayley Christian, investigadora sénior da Escola de População e Saúde Global da UAO e Instituto Telethon Kids, considera que este trabalho foi capaz de confirmar que cães têm efeitos benéficos nos nossos níveis de stress.

“Os cães incentivam a que nos tornemos mais ativos e a construir relacionamentos e redes fortes e saudáveis ​​com as pessoas da comunidade quando estamos a passear com eles”, afirma Christian. “A sua companhia é também ótima para a nossa saúde mental.”

Embora o estudo tenha encontrado uma correlação positiva geral entre os benefícios para a saúde mental e a posse de cães, Christian considera que são necessárias outras investigações para aprofundar a extensão das diferentes formas pelas quais os cães afetam este aspeto da nossa saúde.

“Algumas das limitações do estudo foram o tamanho, relativamente pequeno e existência de muitos fatores em jogo que afetam nossa saúde mental que são difíceis de separar”, refere.

“Será importante que estudos futuros examinem até que ponto os cães afetam a nossa saúde mental, incluindo a forma como uma mudança no status de propriedade de animais de estimação pode impactá-la em diferentes fases das nossas vidas”, acrescenta.