doenças cardiovasculares

Tem fatores de risco para doenças cardiovasculares? Então mexa-se!

Por Investigação & Inovação

Pressão arterial alta, colesterol elevado e diabetes são os ingredientes para o aumento do risco de doenças cardiovasculares. Mas um novo estudo confirma que no mexer é que está o ganho. Ou seja, diz que para as pessoas com estes problemas, aumentar os níveis de atividade está associado a uma probabilidade mais baixa de eventos cardíacos e mortalidade. É mesmo caso para dizer: mexa-se, pela sua saúde!

Ler Mais

pressão alta

Prevenir e tratar a pressão alta sem recurso a medicamentos

Por Investigação & Inovação

Um em cada quatro ataques cardíacos é causado por pressão alta. Estima-se que até 2025, cerca de 60% da população mundial terá hipertensão. E embora se saiba que o exercício físico reduz a pressão arterial, até agora as recomendações concentravam-se na quantidade de exercício, sem considerar o nível de pressão arterial inicial de cada pessoa. Tudo muda com as recomendações agora partilhadas, que definem atividades específicas de acordo com a pressão atual do sangue de cada um.

Ler Mais

atividade física

Trinta minutos por dia de atividade física podem reduzir o risco de morte em 16%

Por Bem-estar

Realizar 150 minutos de atividade física de intensidade moderada (caminhada rápida ou dança, por exemplo) ou 75 minutos de atividade vigorosa (como corrida ou outro desporto) por semana (30 minutos por dia), conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), reduz o risco a mortalidade em 16%, o risco de mortalidade cardiovascular em 27% e os AVC em 12%.

Ler Mais

exercício físico

Impacto do exercício físico na diabetes pode ser superior ao da medicação

Por Atualidade

Ser ativo faz bem à saúde de quem a tem e quem vive com diabetes. Mas muitos são os portugueses que vivem com esta doença e que desconhecem ou desvalorizam os benefícios da atividade física, não sabendo, por exemplo, que “o exercício físico consegue ter impacto equivalente ou superior à medicação e funciona sempre como um adjuvante da terapêutica para a diabetes”.

Ler Mais