O que pode começar como uma ida casual ao parque infantil pode acabar com uma passagem pelas urgências. Com o verão e as férias dos mais pequenos à porta, a Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos (AAOS) incentiva os pais e responsáveis ​​a reservarem um momento para se familiarizarem com os riscos dos parques infantis e com as formas de prevenir lesões e acidentes mais graves.

“Depois de um ano escolar desafiador e de meses de distanciamento social e separação dos amigos, as crianças estão ansiosas para sair e brincar”, refere a porta-voz da AAOS, Rachel Y. Goldstein, cirurgiã ortopédica pediátrica do Hospital Infantil de Los Angeles.

“Todos nós queremos que os nossos filhos brinquem, mas também queremos que eles estejam seguros. Com o início do verão, é importante tomar medidas para garantir que ninguém acaba o dia de brincadeira com uma ida ao hospital.”

As crianças beneficiam de exercício ao ar livre e do desenvolvimento de equilíbrio, coordenação e confiança. Infelizmente, as quedas de baloiços, escorregas ou barras podem causar lesões ortopédicas. 

“Num esforço natural para se proteger, as crianças muitas vezes caem com a mão estendida e fraturam os ossos que envolvem o pulso ou o cotovelo”, acrescenta a especialista. “Ao supervisionar as crianças de perto e certificar-se que estão a usar o equipamento da forma como deve ser usado, essas lesões podem ser evitadas. Por exemplo, nada de saltar dos baloiços e uma pessoa de cada vez no escorrega.”

Para os pais, a especialista recomenda:

– Nunca descer o escorrega com um bebé ou criança pequena ao colo. O pé da criança pode ficar preso por debaixo da perna do adulto, causando uma torção. Isso pode levar à fratura da tíbia.
– Orientar as crianças a usar os equipamentos do parque infantil adequados à sua idade.
– Verificar se há espaço suficiente para as crianças saírem facilmente do escorrega. Não deixar que as crianças se amontoem nas áreas de saída.
– Verificar os dispositivos de escalada para verificar se estão seguros e também no formato e tamanho para a mão de uma criança.
– Os assentos giratórios devem ser de plástico ou borracha para uma melhor aderência.
– Evitar qualquer equipamento com aberturas que possam prender a cabeça de uma criança.
– Certificar-se que consegue sempre ver claramente os seus filhos no parque infantil.
– Evitar parques com cimento, asfalto, terra compactada ou relva. A superfície deve ser feita de lascas de madeira, cobertura morta ou borracha picada para equipamentos de recreação de até 2,10 metros de altura.
– Ter cuidado com o sol. Os equipamentos expostos à luz solar direta podem ficar quentes e, potencialmente, queimar a pele.
– Remover riscos de tropeçar, como pedaços de árvores ou pedras.

Para crianças, há também regras a seguir:

– Brincar em equipamentos secos.
– Segurar-se nos corrimãos e subir as escadas ou degraus lentamente.
– Deslizar uma pessoa de cada vez, sentando-se e olhando para a frente, e afastar-se do escorrega assim que chegar ao solo. Nunca subir pela frente do escorrega.
– Não passar à frente de baloiços em movimento.
– Remover cordões e capuzes das roupas que possam ficar presos no equipamento.
. Usar calçado adequado para evitar estilhaços e cortes.