Zumba, ginástica ou ciclismo: qual destes exercícios é o melhor para a saúde mental? A resposta é dada por um novo estudo, que confirma: no exercitar é que está o ganho.

De acordo com a ciência, a prática de exercício físico está associada à redução do risco de mortalidade por todas as causas, sejam estas doença cardiovascular, AVC ou diabetes.

O impacto de uma vida fisicamente mais ativa na saúde mental é também conhecido, ainda que menos estudado. E é sobre ele que se debruça um trabalho realizado nos EUA e publicado na revista Lancet Psychiatry, que examina a relação entre o exercício do corpo e a mente e avalia o impacto do tipo de exercício, frequência, duração e intensidade do mesmo.

Vai uma voltinha de bicicleta?

Mas afinal, qual é então o melhor exercício, mentalmente falando? As aulas de grupo ocupam o primeiro lugar da lista, com os especialistas a destacarem, por exemplo, as aulas de zumba, muito na moda, e que parece que não só nos põem a mexer, mas também nos melhoram a saúde mental.

Segue-se o ciclismo e as atividades aeróbicas e de ginástica. Quanto à duração, o melhor para a cabeça são mesmo as atividades com 45 minutos, realizadas três a cinco vezes por semana.

No entanto, todos os tipos de exercícios foram associados a uma maior saúde mental, quando se comparou aqueles que fazem exercício e os restantes.