Se tem a pele irritada, vermelha ou pequenas borbulhas sob a máscara usada para travar a progressão do novo coronavírus, então saiba que está longe de ser um caso único. Allison Truong, dermatologista no Cedars-Sinai Medical Group, nos EUA, confirma que são muitas as pessoas que sofrem do que os norte-americanos já chamam ‘mascne’ (acne da máscara).

São três os problemas que, segundo a especialista, o uso de máscaras estão a causar ao nível da pele: acne causada por poros entupidos dentro da área da máscara, irritação causada pela máscara e reações alérgicas ao detergente usado para lavar a máscara de tecido ou aos produtos que compõem as máscaras cirúrgicas.

De acordo com Allison Truong, se a área geral estiver vermelha, a arder ou a causar comichão, pode ser mais uma irritação ou alergia. Se existirem pequenas borbulhas, comummente conhecidos como cravos ou espinhas, isso indica a presença de acne.

Truong explica que a higiene adequada é muito importante para manter a pele saudável e sugere o uso de um produto para limpar, suave, que se deve aplicar quando se lava o rosto, de manhã. Não esquecer ainda o protetor solar, para criar uma barreira entre a pele e a máscara e, uma vez em casa, tirar a máscara, lavar o rosto e adicionar um hidratante.

É importante lavar as máscaras de tecido todos os dias e porque os detergentes para a roupa podem ser uma causa comum de reações alérgicas, a especialista sugere o uso de detergentes sem perfume.

Se sua pele estiver irritada, vermelha, a causar comichão ou com a sensação de ardor, Truong recomenda o uso de um creme de hidrocortisona vendido sem receita, uma ou duas vezes por dia.

Acabar com os problemas de pele, mas não com o uso de máscara

Vários estudos revelaram que quando se usa uma máscara, as glândulas sebáceas sob a pele produzem mais óleo, criando um ambiente ideal para a formação de acne.

Truong sugere que não se use maquilhagem por baixo da máscara. Caso seja necessário, a escolha deve recair sobre produtos identificados como não-comedogénicos.

Se a acne for grave e se persistir, o melhor será consultar um dermatologista.

O que não é aqui um conselho, nem agora nem nunca, é que se deixe de usar máscara. 

“Todos os dias existem estudos que demonstram a importância do uso de máscaras para impedir a disseminação da COVID-19“, reforça. “Se mantiver a sua máscara limpa, seguir a higiene diária adequada para a pele e usar os produtos adequados, poderá controlar qualquer irritação, continuando a proteger-se a si e aos outros deste vírus.”