A bexiga, uma parte integrante do sistema urinário, é um órgão oco, que tem a função principal de armazenar e eliminar a urina filtrada pelos rins. O cancro da bexiga desenvolve-se quando células anormais na bexiga começam a crescer descontroladamente. De acordo com os dados da International Agency for Research on Cancer, em 2020 contaram-se mais de 200.000 novos casos deste tipo de tumor na Europa. No Mês de Sensibilização para o Cancro da Bexiga, o Rutgers Cancer Institute of New Jersey coloca a ênfase na informação, que pode ajudar no diagnóstico precoce.

Os investigadores estão a trabalhar para entender melhor as causas do cancro da bexiga, mas sabe-se que vários fatores podem aumentar o risco, como fumar, que é, de longe, o maior fator de risco para o desenvolvimento deste tipo de tumor.

Quem fuma tem até quatro vezes mais probabilidade de desenvolver a doença, mas a exposição a alguns químicos tem também sido associado ao aumento do risco desta doença, assim como história de inflamação crónica por infeções recorrentes da bexiga e a idade avançada.

Sintomas e tratamento para o cancro da bexiga

Na maioria dos casos, o primeiro sinal de cancro da bexiga é sangue na urina. Outros sintomas incluem dor ou sensação de ardor ao urinar, micção frequente, necessidade de urinar muitas vezes durante a noite, sensação de necessidade de urinar, sem que se concretize e dor lombar de um lado do corpo.

Sintomas perante os quais é sempre importante falar com um profissional de saúde.

O tratamento deste tumor depende do tipo de cancro e do estádio da doença. A maioria dos casos é o carcinoma urotelial, um cancro que se forma nas células que revestem a bexiga e, quando ainda não houve invasão das camadas musculares mais profundas, o tratamento começa com a remoção do tumor da parede da bexiga.

Os tumores com alto risco de progressão são então tratados com medicamentos de base imunológica ou quimioterapia aplicada diretamente na bexiga.

Quando este tipo de cancro invadiu o músculo, o tratamento inclui uma combinação de quimioterapia e cirurgia para remover a bexiga ou ainda radioterapia.