Consumo de antibióticos pode aumentar 200% até 2030

antibióticos

Entre 2000 e 2015, as doses diárias de antibióticos aumentaram 65% em todo o mundo, tendo as taxas de consumo crescido 39%, sobretudo nos países em vias de desenvolvimento. Os números fazem parte de um estudo internacional, que se debruçou sobre os dados de 76 países e que deixa más notícias: se nada for feito, as previsões apontam para um crescimento de 200% no consumo deste tipo de medicamentos até 2030.

Numa altura em se abriu guerra às multirresistências, uma das grandes ameaças nacionais à saúde pública, o Center for Disease Dynamics, Economics & Policy (CDDEP) decidiu olhar para os números e, num estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, defende que “o conhecimento dos padrões de consumo de antibióticos deveria orientar as políticas destinadas a minimizar a sua resistência”.

Esta foi a avaliação mais completa dos dados mundiais feita até ao momento e revela que as doses diárias definidas aumentaram 65%, passando de 21.100 milhões para 34.800 milhões. O consumo, esse aumentou 39%: de 11,3 passaram-se a 15,7 doses diárias por 1.000 habitantes/dia. E se nada for feito, a tendência atual levará a um aumento do consumo de cerca de 200%.

Nos países em vias de desenvolvimento, o consumo de antibióticos aumentou 114%, de 11.400 milhões para 24.500 milhões de doses diárias, tendo a taxa de consumo aumentado 77% (de 7,6 a 13,5 doses por mil habitantes/dia). E na lista dos que apresentam taxas de consumo mais elevado estão mesmo países de rendimentos mais reduzidos, como a Turquia, Tunísia, Argélia e Roménia.

 No que diz respeito aos países considerados mais ricos, o uso de antibióticos seguiu a mesma tendência, a de crescimento, com um aumento de 6% (de 9.700 milhões a 10.300 milhões de doses diárias), tendo a taxa de consumo caído 4% (de 26,8 a 25,7 doses diárias por mil habitantes por dia).

Portugal nos lugares cimeiros

Portugal surge na lista, ocupando o 22º lugar entre os países onde o consumo de doses diárias, por mil habitantes/dia, foi dos mais elevados em 2015 (cerca de 26). Mas ainda assim distante da Espanha que, de entre os 76 países avaliados, foi o terceiro com maior consumo de antibióticos em 2015, chegando às 40,1 doses diárias por mil habitantes/dia.

Posts relacionados