Controlar a diabetes para evitar progressão da Covid-19

diabetes e covid-19

A convite da International Diabetes Federation, investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) alertam para a importância de controlar a diabetes para evitar o agravamento da Covid-19.

Isto porque, referem os especialistas, os doentes que não têm a doença controlada têm um risco acrescido. É que, ao apresentarem níveis mais altos de glicose no sangue, são mais suscetíveis à multiplicação de vírus e bactérias no organismo.

“Dada a gravidade da doença e a elevada taxa de mortalidade em pacientes com morbilidades associadas, nomeadamente diabetes, o SARS-CoV-2 representa um desafio acrescido, não só para os clínicos como para os doentes”, explica ao site de notícias da Universidade do Porto Bruno Sarmento, que lidera o grupo de investigação ‘Nanomedicines & Translational Drug Deliver’.  

A resposta do sistema imunitário das pessoas com diabetes não é tão eficaz e têm, por isso, “maior risco de desenvolver complicações decorrentes de infeção por microorganismos”.

A importância de controlar a diabetes

No artigo acima referido, a equipa de Bruno Sarmento alerta também para o facto de os diabéticos que não têm a doença controlada apresentarem níveis ainda mais elevados de glicose no sangue, o que “resulta num ambiente mais favorável à multiplicação desses microorganismos, uma vez que facilita ainda mais o seu crescimento e aumenta a sua capacidade de infeção das células, havendo um maior agravamento do estado de saúde desses doentes”.

Dados recentes, já revelaram que “a monotorização assídua e correta da diabetes nos pacientes infetados com SARS-CoV-2 é de extrema importância para prevenir a progressão da doença viral”, sendo igualmente importante “o controlo da glicose no sangue é igualmente fundamental”.

Por pertencerem a um grupo de risco os diabéticos devem, por isso, seguir as recomendações da Direção-Geral de Saúde, que incluem o distanciamento social, a etiqueta respiratória, a lavagem frequente das mãos e permanecer em casa, sempre que possível, de forma a evitar o contágio.

Além disso, a Federação Internacional de Diabetes recomenda que seja feita uma monitorização regular dos níveis de açúcar no sangue, de forma a que o organismo possa responder mais eficazmente à infeção e também a aquisição dos seus medicamentos para a diabetes com antecedência para evitar que possam vir a faltar

Posts relacionados